Meu livro "O Humor no Trabalho"

Meu livro "O Humor no Trabalho"
A venda nas Livrarias Asabeça, Cultura e Martins Fontes
Loading...

4 de agosto de 2015

Quem estaria dizendo a verdade?

“Aqueles que corrompem a opinião pública
são tão funestos como àqueles que roubam
 as finanças públicas” Adlai Stevenson

 Uma boa parcela do povo brasileiro, em especial os frequentadores da Baia da Guanabara e da Lagoa Rodrigo de Freitas sabem que suas águas há muito tempo são poluídas ao extremo. Havia uma tênue esperança que com a realização dos Jogos Olímpicos RJ/2016 algo fosse feito pelas autoridades e pelo Comitê Organizador do evento. Entretanto ninguém fez absolutamente nada com relação a este assunto tão importante para o meio ambiente e a sociedade carioca, bem como, para os atletas que vão competir no próximo ano no Rio de Janeiro.
Aceitar essa situação é muito difícil, mas pior do que saber da omissão do poder público é perceber que os atletas, a comissão organizadora e os órgãos públicos ligados a Prefeitura do Rio de Janeiro querem desmentir o obvio e nos fazer acreditar que os mentirosos são justamente os competidores estrangeiros do primeiro mundo.
Como se na Austrália, Inglaterra, Áustria e tantos outros países existissem a prática nociva do “Levar vantagem em tudo” ou como se fosse normal nos países citados o poder público mentir para justificar suas mazelas. Para você leitor entender melhor veja o que aconteceu:
Preocupada com o resultado de recente análise das águas da Baía de Guanabara, a Federação Internacional de Vela anunciou que vai encomendar um estudo próprio para avaliar a qualidade das águas do local, sede das provas da modalidade durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no próximo ano.
O Diretor executivo da federação, Peter Sowrey afirma que a pesquisa vai detectar a eventual presença de vírus e bactérias na água. A entidade decidiu promover sua própria análise depois que a agência de notícias Associated Press divulgou relatório nesta semana apontando a presença de vírus e coliformes fecais nas águas da Baía de Guanabara, na Lagoa Rodrigo de Freitas, ambas as sedes de eventos olímpicos, e na praia de Copacabana.
De acordo com a análise, 150 amostras de água foram testadas para três tipos de adenovírus humano, além de rotavírus, enterovírus e coliformes fecais. Elas apontaram níveis altos de adenovírus nos três locais. Também mostrou sinais de rotavírus, principal causa mundial de gastroenterite. Os testes foram realizados pela Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS), por encomenda da AP.
Partiu dos próprios competidores a defesa mais veemente do Rio. Nesta sexta-feira, durante coletiva de lançamento do evento-teste do triatlo, que acontece neste sábado e domingo em Copacabana, a triatleta brasileira Pâmella Oliveira lembrou que o Rio e a praia da zona sul têm histórico de competições na água.
"Há várias provas aqui, maratona, triatlo, milhares de turistas todos os dias que se banham. Eu mesma já vim e já voltei um milhão de vezes e nunca tive problema", afirmou a atleta. "Isso (risco de contrair doenças na água) não me preocupa de maneira alguma. Penso que essa questão já foi resolvida quando colocaram a prova aqui em Copacabana. Não acredito que tenham colocado aqui sem ver todas essas questões".
Dezenas de reportagens mostram o esgoto a céu aberto sendo despejado em todo acesso que antecede a Baia de Guanabara. Não existe tratamento de esgotos na região e nem vai existir se depender dos atuais mandatários da cidade maravilhosa e do Estado do Rio de Janeiro. Para eles, os atletas que se danem, o povo, que nade em meio a coliformes fecais. Importa são as próximas eleições municipais após a realização das RJ/2016.
Eu acredito nas pesquisas realizadas e na Federação Internacional de Vela e você? Acredita em Eduardo Paes? No Comitê Organizador da RJ/2016? Em Papai Noel e Gnomos?

1 de agosto de 2015

Corrupção endêmica levando o país a morte

O mal une os homens. Aristóteles

Além do sistema político envolvido até o pescoço com corrupção, propinas, fraude e desvios do erário, temos no país fiscais corruptos, médicos burlando horário de trabalho, fraudes no DPVAT, agentes públicos envolvidos em maracutaias dos Detrans e toda espécie de golpes aonde existe dinheiro, principalmente o recurso público.
Recentemente o Conselho Municipal de Saúde – CMS de Guapimirim – RJ, encontrou irregularidades em contrato entre a sua Secretaria de Saúde e uma empresa chamada Status Rio Auto Ltda. Segundo as denúncias houve compra de combustível para cinco viaturas da secretaria que possibilitariam ir a Lua sem problema de abastecimento no caminho.
O Ministério Público ajuizou ação de improbidade administrativa contra o prefeito Marcos Aurélio Dias (PSDC-RJ) e o secretário de Saúde Eliel Ramos. O pedido visa afastar o prefeito e outros agentes públicos envolvidos no golpe do combustível.
Além de pagamentos realizados sem licitações, com indícios claros de superfaturamento, diante de uma frota de apenas cinco veículos na cidade.
Surpresa? A empresa pertence ao pai do vereador Alcione Barbosa Tavares (PSDC) – Conhecido, como (pasmem) Alcione do Posto. A cidade que possui 50 mil habitantes e fica próxima a Teresópolis não passou em branco diante da ganância e do senso de oportunidade que os corruptos detectam aonde tem dinheiro público.
Quantas empresas no Brasil pertencem a políticos? Quantas cidades são alvo de atos como esse que muitas vezes passam despercebidos pelo cidadão comum e até do MP? Quanto dinheiro é desviado no Brasil diariamente? Enquanto isso, nós, cidadãos honestos, pagamos pesados tributos para sustentar essa corja de bandidos da pior espécie humana.
É revoltante saber que atitudes como estas em Guapimirim ajudem a afastar da vida política, dos partidos constituídos e do poder público pessoas honestas que ficam enojadas com tanta desfaçatez. A impunidade precisa acabar e essa escória precisa ser presa, obrigada a devolver tudo que roubaram e a cumprir penas severas sem os imorais benefícios proporcionados pela nossa Justiça.
São bilhões de reais desviados de suas finalidades precípuas em todos os cantos do país. São golpes e fraudes que inundam nosso cotidiano, tirando de todos os brasileiros a esperança de um futuro digno e melhor.
A corrupção é democrática, está em todos os estágios da vida pública, nos três poderes constituídos e em todos os cantos do país, que é conhecido mundialmente como “Paraíso da Impunidade e da Corrupção”. Pobre povo de Guapimirim e do Brasil.

29 de julho de 2015

Diga-me com quem andas e te direi quem és!

O mal une os homens. Aristóteles

A frase acima ainda utilizada nos dias atuais, sempre foi atribuída a Bíblia, ou para alguns ainda foi proferida por Jesus em algum momento de sua peregrinação na terra. Na verdade, desta forma como está escrita ela não aparece na Bíblia nem tem citações relacionadas a Jesus.
De qualquer forma podemos dizer que a encontramos no livro sagrado, mas escrita de outras formas semelhantes, com outras palavras, de forma contextual, tendo talvez o mesmo significado.
Todos os brasileiros estão acompanhando nos telejornais à exaustão os desdobramentos diários da Operação Lava Jato, que foi realizada pela Polícia Federal e agora se encontra na instância de apuração e julgamentos com o Juiz Sérgio Moro em Curitiba.
Vários empresários foram presos e estão aguardando julgamento, enquanto outros estão fazendo delação premiada e assim possibilitando que a justiça entenda os meandros da corrupção nas empresas estatais e nas licitações de obras por elas realizadas.
Alguns políticos foram presos, ex-diretores de estatais também estão atrás das grades aguardando os desdobramentos dos processos. Na semana retrasada foi divulgado um depoimento que coloca sob suspeita o presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha – PMDB-RJ. Afirma o delator que Cunha teria recebido R$ 5 milhões de reais por conta de propinas.
Cunha não desmentiu, ao invés disso começou a atacar o governo do qual seu partido é aliado desde 2002. O PMDB possuí milhares de cargos nos três principais escalões do desgoverno petista, que agora é criticado por Cunha. Também atacou o juiz Moro e o ameaçou junto ao STF.
Rompeu com o governo de Dilma, mas nenhum dos apadrinhados de seu partido foi retirado da administração pública direta ou indireta. Muito conveniente esse posicionamento adotado pelo presidente da Câmara.
No dia 27 de julho em São Paulo o ápice dos absurdos ocorre num almoço realizado por quinhentos empresários paulistas onde o principal convidado à mesa era justamente o senhor Eduardo Cunha. Você convidaria um político suspeito de corrupção para ser padrinho de batismo de sua filha? Ou para ser padrinho de casamento? Você ficaria feliz em ter um suspeito de corrupção à mesa jantando com você e sua esposa e filhos?
Pois os empresários de São Paulo acreditam que as denúncias da operação Lava Jato e as ações do juiz Sérgio Moro valem apenas quando os acusados são petistas, visto que, nos demais casos tendem a acreditar na inocência dos demais envolvidos, a ponto de promover um caríssimo almoço para acolher um deles.
Neste barco está o Governador Geraldo Alckmin que apesar de ser oposição ao governo federal, recebeu Cunha em seu gabinete quando da passagem do mesmo por São Paulo. O mesmo Alckmin que não recebeu sequer uma única vez os representantes dos Professores do Estado em sua sala quando das discussões por melhores condições de ensino em São Paulo, recebe o suspeito Eduardo Cunha com toda pompa e circunstância. Estranho?
Afinal de contas para os empresários e o governador Corrupção é crime? Devem ser todos punidos ou apenas aqueles ligados ao PT? Os empresários estão preocupados realmente com a situação caótica do país? Ou apenas em tomar partido de um lado do barco que pode não naufragar apesar do peso de sua camarilha ser tão grande quanto à do partido que nos governa? Com relação a estes 500 empresários e ao governador de SP posso afirmar sem medo de errar: Eu sei com quem vocês andam, portanto, sei quem vocês são.



25 de julho de 2015

Racismo na Unesp - Bauru!

Ninguém nasce odiando outra pessoa
pela cor de sua pele, por sua origem
ou ainda por sua religião. Para odiar,
as pessoas precisam aprender,
e se podem aprender a odiar,
elas podem ser ensinadas a amar.
Nelson Mandela


Não existe explicações que justifiquem a prática do racismo em qualquer parte do mundo civilizado. Em particular no Brasil, ele se torna ainda mais ignóbil e sem sentido, na medida em que nosso povo é fruto de uma miscigenação que incluí em seu DNA a raça negra oriunda da África.
Não bastasse isso, durante muitos anos nossa sociedade foi elogiada justamente por ser um raro exemplo de coletividade que respeitava e convivia com raças diferentes, amava povos que no exterior estavam em guerra (Árabes e Judeus) e não oprimia nem hostilizava pessoas de raças, credos e ideologias diferentes.
Pelo visto, essa fase acabou e aos poucos surgem novas gerações dentro do seio da sociedade brasileira que se caracterizam pela intolerância racial, pela falta de respeito para com o ser humano e com um grau elevado de preconceito em diversas áreas da vida comum.
Nesta semana (Julho/15) ficamos sabendo de um ato que ocorreu no Campus da Universidade Estadual Paulista - UNESP que entristeceu e preocupou a todos que tem discernimento para entender o quão grave são estes atos que a sociedade deve repudiar e a Justiça punir com o máximo rigor das leis.
Para que o leitor possa entender reproduzo trecho do que ocorreu e ao final do texto disponibilizo link com a matéria completa feita pelo JC de Bauru:
“UNESP cheia de macacos fedidos”, “Negras fedem” e “Juarez Macaco”. Essas foram algumas das frases lamentáveis que surgiram entre a manhã e tarde de 24/07/15 em dois banheiros da UNESP em Bauru. O caso chocou alunos e professores do campus pelo conteúdo racista e de ódio que estava grafado em paredes e portas do banheiro masculino e feminino, localizados próximos ao departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). As mensagens seriam destinadas aos alunos negros e a um professor do curso de jornalismo do campus.
O Brasil está regredindo em vários segmentos no que diz respeito a vários assuntos, a falta de uma educação proveniente dos lares e a ausência de melhorias na Educação em salas de aulas, contribuem para que questões como estas se agravem.
A impunidade crescente no país também pode ser apontada como motivadora e facilitadora para que pessoas predispostas a cometer estes crimes raciais e de injúrias se multipliquem à sombra das leis.
Em respeito ao Professor Juarez Tadeu de Paula Xavier, ser humano da melhor qualidade, inteligente, atencioso e extremamente profissional e de todas as demais pessoas atingidas este Blog envia sua solidariedade e o desejo que coisas nocivas como estas jamais venham a esmorecê-los em suas lutas pela igualdade, pela dignidade humana no campo pessoal e profissional.

http://www.jcdigital.com.br/flip/Edicoes/16539%3D25-07-2015/004.PDF

22 de julho de 2015

Dolce vita!

De que adiantam leis quando há miséria
interior e esplendor externo?
Chuang Tzu

Até acontecer a prisão dos sete suspeitos em corrupção e recebimento de propinas na sede da FIFA na Suíça, fruto de investigação rigorosa do FBI e da Justiça Federal dos EUA, viajar era uma das coisas favoritas dos ocupantes da Presidência da CBF.
Eles viajavam tanto, que às vezes até pensávamos que trabalhavam muito também. O ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira cruzou o mundo várias vezes, viajou tanto que até comprou uma mansão faraônica nos EUA. Seu substituto, José Maria Marin não teve assim tanto tempo para poder viajar, mas foi um campeão, afinal de contas em pouquíssimo tempo conseguiu chamar a atenção das autoridades suíças e americanas. Está preso e não pôde mais continuar seus périplos pela Europa e resto do mundo com o dinheiro da CBF e das propinas conforme as suspeitas que sobre ele recaem.
Interessante é que quando as prisões aconteceram na Suíça o Senhor Marco Polo Del Nero atual presidente da CBF, um esbanjador contumaz fugiu pelas portas dos fundos da sede da FIFA em Zurique. Saiu à francesa, em desabalada carreira da FIFA para o aeroporto mais próximo. Correu como o diabo foge da cruz, nunca correu tanto em sua vida.
De volta ao Brasil não sofreu nenhum processo até o momento, nem investigação que se saiba, nem ao menos seus supostos algozes no Congresso Nacional o incomodaram com a abertura de uma CPI ou de qualquer outro pedido correlato. Aos poucos foi se sentindo novamente no Brasil - O paraíso da Impunidade e da Corrupção mundial.
Ainda não circula muito, mas vai da sua mansão para a CBF e vice versa com desenvoltura e sem maiores receios. Desde que entrou para o mundo do futebol sua vida mudou para melhor. Mesmo com o país em crise, nada em dinheiro e possui iate, carrões de luxo, apartamentos de coberturas e outros imóveis que infelizmente a sociedade desconhece.
Desde que sofreu aquele “sustinho” na Suíça, saiu de circulação das capas de revistas onde posava ao lado de mulheres muito bonitas, quarenta anos mais jovens do que o Don Juan da CBF. Hoje está mais comedido e sem muita exposição na mídia.
Como é bom viver no Brasil, aqui ninguém é incomodado pela Receita Federal, exceto um trabalhador que cometer um erro em sua declaração anual de rendimentos, este sim, será tratado com o rigor da lei e multas de até 75% sobre o valor a ser pago. 
Já os poderosos possuem mecanismos legais (Donos de redes de TV, Clubes de Futebol, Artistas milionários, Empresários e Políticos) que facilitam e muito a sua relação de riqueza com o fisco. Também não sofrem muito com a Justiça, porque podem contratar advogados a peso de ouro (Euro) e manter uma relação de impetração de recursos até chegarem aos setenta anos e conseguirem graças a benesses infindas saírem ilesos, assim como Paulo Maluf, por exemplo.
Isso sim é que é uma Doce Vida (Dolce Vita) neste paraíso de propinas, contratos superfaturados, placas estáticas em estádios e outras facilidades para ser milionário. Viva a vida Del Nero, se você pagar será em outro andar, em outro tempo, talvez no umbral, quem sabe mais fundo ainda no inferno.

20 de julho de 2015

A magia dos cubos!

O nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado:
nele se encontra todos os segredos,
inclusive o da felicidade. Charles Chaplin

Uma antiga brincadeira de crianças virou paixão mundial de todas as idades, desde as crianças, passando por jovens adolescentes até senhores cinquentões. O cubo de Rubik ou simplesmente Cubo Mágico teve seu final de semana de Mundial em São Paulo. Estivemos no Colégio Etapa para ver um pouco da competição e acompanhar meu filho Ronaldo de 18 anos que competiu em três modalidades.
São várias as modalidades, além das diferenças de faces dos cubos (2x2, 3x3, 4x4, 6x6) tem também a modalidade com os olhos vendados e até com os pés. Sem contar o cubo na forma dodecaedro (12 faces). Competiram cerca de 400 pessoas de quarenta países num ambiente de civilidade, educação e muita concentração.
Enquanto meu filho conversava em inglês com o Campeão Mundial Feliks Zemdegs, um jovem australiano que vive nos EUA, minha filha Marina fotografava um dos momentos mais emocionantes do primeiro dia de competições, o menino Chan Hong Lik que levou a plateia lotada ao delírio, quando numa das suas tentativas alcançou menos de dez segundos. Pura emoção!
            O silencio nos momentos em que os competidores tentavam freneticamente montar seus cubos contrastava apenas com a muita alegria juvenil além do zunir das superfícies plásticas e dos aplausos da plateia.
Gostoso ver no país do futebol e de esportes coletivos como Vôlei e Basquete e da nossa péssima educação jovens brasileiros se interessando por algo tão sadio, lúdico e inteligente.
Ficamos felizes também ao ver a organização do evento nas mãos de um Colégio competente. Nada estava fora da ordem ou do lugar que deveria estar. Os voluntários fizeram um trabalho brilhante e o Colégio Etapa está de parabéns!
Final de semana diferente e muito alegre para nossa família e para as centenas de pessoas que lá estavam numa alegre torre de babel onde diversos idiomas se fundiam numa só direção > Os Cubos Mágicos!

15 de julho de 2015

Ajuste fiscal - A garrafada que cura quase tudo!

A base da vergonha não é algum erro que cometemos,
mas que essa humilhação seja vista por todos.
Milan Kundera
Desde sua posse em primeiro de janeiro deste ano Dilma Rousseff prega a necessidade de aprovar no Congresso Nacional o Ajuste Fiscal. Abdicou de governar para falar deste item da sua política econômica. Seu novo ministro da fazenda Joaquim Levy também só fala deste assunto para os parlamentares, para as plateias aonde profere palestras, para a mídia nacional e internacional, enfim, estamos com overdose de ajuste fiscal.
Preocupa-nos saber que nestes seis meses o desemprego cresceu assustadoramente e põe a perder anos de índices positivos de carteiras assinadas. Assusta ver e sentir nos bolsos que a inflação também colocou suas asas de fora, deixando tudo mais caro e a classe média em polvorosa (Ela que sempre arca com os maiores prejuízos).
Sem contar que combustíveis estão com preços surreais e ajudando a empurrar a inflação e o desânimo para patamares que achávamos não existir mais no país. Sem esquecer que o governo também elevou a conta da energia elétrica, aquela mesma que teve privatizadas diversas empresas estatais e se supunha estar nas mãos de empresas sérias e prontas a investir na expansão do setor com ou sem crise hídrica.
A única certeza que temos é que o país está andando para trás há muito tempo, porém, aumentou a velocidade dessa marcha à ré nos últimos seis meses de forma impressionante.
E o governo? Que governo? Dilma acuada pelo reacionário e ambíguo PMDB além das acusações que só crescem contra seu partido, contínua falando que o Ajuste Fiscal vai resolver tudo.
Não sou economista e nem quero ser, porém, imagino que esse ajuste seja igual àquelas garrafadas que são vendidas em feiras do norte e nordeste do país. Aquelas que anunciam curar AIDS, impotência sexual, gripe, má digestão e tudo mais que possa existir de doenças na face da terra.
O projeto de ajuste fiscal do governo Dilma, na verdade esconde novos aumentos na carga tributária que já é obscena para a maioria dos brasileiros. Fica latente a inexistência de planejamento, e, também a não realização dos cortes necessários de gastos com a máquina pública, bem como, das despesas que deveriam ser cortadas para reduzir drasticamente a dívida pública interna e externa.
Ao contrário, o governo se mantém dentro de uma zona de conforto navegando por inércia e muitas vezes por osmose. Se alguém reclama, dá-lhe ajuste fiscal, de hora em hora ou quatro vezes ao dia como remédio barato que não resolve, mas alivia a dor.
A garrafada ao menos tem elogios entre seus adeptos, enquanto esse ajuste fiscal é pior que pinga batizada no fundo de uma bodega paraguaia. 

11 de julho de 2015

Empreendimentos imobiliários sob investigação em Bauru!

“Só o erro é que precisa apoio do governo.
A verdade, essa fica de pé por si própria”.
Thomas Jefferson

Há algum tempo que ouvimos rumores em Bauru sobre possíveis irregularidades nos chamados empreendimentos imobiliários realizados aos borbotões em Bauru e região. A cidade não tem planejamento urbano, viário ou de qualquer natureza, visto que a Prefeitura e a Câmara se negam a discutir de forma inteligente este assunto vital para qualquer cidade do mundo.
Entretanto, sempre estamos sendo bombardeados pelas propagandas de novos lançamentos imobiliários de loteamentos e grandes empreendimentos na cidade.
Ninguém discute a questão da escassez da água, da energia a ser utilizada, da necessidade de vias que comportem o novo fluxo interno e externo na região e nem tampouco a importante questão da reserva de áreas verdes e institucionais em cada novo projeto imobiliário.
Em decorrência da situação exposta, o Promotor de Justiça, Cidadania e Urbanismo de Bauru Dr. Luiz Gabos Alvares sugeriu no ano de 2014 ajuizamento de ação direta de inconstitucionalidade contra três leis municipais. Para se ter uma ideia o Plano Diretor da cidade é de 2008, e permite em um de seus artigos que empreendedores entreguem ao município terrenos fora das glebas loteadas.
Agora o assunto ganha as páginas dos jornais da cidade de Bauru, porque o Ministério Público Federal protocolou Ação Penal relativa ao caso do Loteamento denominado de Pamplona.
Nove pessoas envolvidas com empreendimentos imobiliários na cidade de Bauru foram acusadas pelos procuradores de supostas irregularidades nos processos de aprovação do condomínio residencial Pamplona, localizado às margens da Rodovia Bauru-Ipaussú. As acusações são de crimes ambientais, a lei de parcelamento do solo e o direito do consumidor.
O pior nestas situações é a população saber que justamente a Câmara dos Vereadores que deveria defender o consumidor e a cidade, são aqueles que muitas vezes aprovam leis inconstitucionais ou que beneficiam meia dúzia de pessoas em detrimento de milhares.
Um exemplo claro neste processo, quando o então Prefeito de Agudos consegue aprovar na Câmara uma lei que transforma uma área de Bauru em perímetro urbano da cidade que governava (Agudos).
Nós brasileiros, por mais que estejamos atentos, não imaginamos do que são capazes os nossos políticos quando eles estão no poder e têm um investimento de milhões batendo à porta de nossas cidades. Nem os viciados em Crack na Crackolândia ficam tão doidões como eles.
Resta parabenizar o Ministério Público Federal e torcer para que seja feita justiça e os suspeitos sejam condenados e devolvam eventualmente aquilo que se apropriaram indevidamente. As entidades representativas de classe e a sociedade civil devem fiscalizar e cobrar os poderes executivo e legislativo sempre.

5 de julho de 2015

Oásis nas cidades brasileiras!

“A história é uma galeria de
quadros em que há poucos
originais e muitas cópias"
Tocqueville

 No Brasil temos aproximadamente 5.570 municípios constituídos e tirando o sono dos brasileiros com a sua ineficiência administrativa e os impostos que cobram de seus munícipes.
Muitos deles jamais deveriam ter sido formados, pois viviam em vilas, distritos ou povoados ao lado de cidades constituídas e bem estruturadas em vários Estados brasileiros, mas a ganância de alguns espertalhões acaba enganando a maioria simples e as cidades se proliferam feito o mosquito da Dengue.
 Fato é que, existem centenas de cidades recém-inauguradas com menos habitantes que servidores públicos. Cujo custo de manutenção é muito maior do que a parca arrecadação auferida dos impostos e verbas enviadas pelo Estado e Governo Federal.
Temos mais vereadores do que médicos, tendo em vista que cada nova cidade tem no mínimo 7 a 9 vereadores e toda equipe complementar para “trabalhar” pelos munícipes.
Agora, chama minha atenção que diante de quase seis mil cidades no país, apenas algumas tem realizado obras e serviços que as colocam num mesmo patamar se as compararmos com cidades do mesmo tamanho no exterior.
Em Niterói, cidade fluminense ao lado da cidade do Rio de Janeiro tem uma administração com relação a sua água tratada que a credencia como uma das melhores do Brasil. O município conseguiu reduzir de 40% para 17% o desperdício de água tratada na cidade nos últimos 15 anos. Este índice está muito próximo de cidades europeias onde o desperdício é abaixo de 10%.
Para conseguir atingir estes índices satisfatórios a administração pública investiu, comprou novos equipamentos e montou um laboratório que testa cerca de mil hidrômetros por mês.
Na cidade de Jundiaí e região cerca de 13 municípios foi implantado um sistema de monitoramento através de câmeras de vídeo com transmissão online 24 horas ao dia para uma central de policiamento da PM.
A redução da violência e dos roubos nestas cidades foi espantosa. Além da recuperação de veículos roubados que tentam circular nos municípios daquela região.
Todo e qualquer veículo furtado cujas placas e características forem passadas para a polícia passam a ser vigiados automaticamente. No momento que circularem pelas cidades em questão, um alarme soará na central de monitoramento e viaturas da PM seguirão na captura dos bandidos.
         Juntos, os equipamentos das dez cidades tiram em média 5 milhões de fotos por dia. Pelo sistema, é possível descobrir o caminho feito por todos os carros suspeitos e saber quanto tempo cada um ficou na cidade. "O sistema demonstrou que sempre que ocorriam furtos de motocicleta na cidade, a eles estava vinculada uma dupla numa motocicleta. Essas pessoas foram identificadas e presas, responsabilizadas por mais de 30 furtos desse tipo de veículo no município", conta José Roberto Ferraz, comandante da GCM.
          Se a experiência foi de sucesso em Jundiaí por que as demais cidades de médio e grande porte de São Paulo não instalaram ainda o sistema? Por que a maioria dos prefeitos e gestores públicos são preguiçosos e sem visão administrativa de futuro a médio e longo prazo? Porque não planejam e buscam em outras cidades, Estados e até países soluções simples para resolver problemas sérios? 
       A cidade de São Caetano do Sul tem índice de IDH – Índice de Desenvolvimento Humano surpreendente apesar de ser um município pequeno, ao lado de potências como São Bernardo, Santo André e São Paulo. No entanto investe em educação, segurança e esportes muito mais do que seus vizinhos. 
        Existem centenas de bons exemplos, raros são aqueles copiados pelos ineficientes gestores públicos do país, políticos cujos únicos interesses estão ligados ao poder, seus vencimentos e suas manobras políticas.

Nascimento e agonia do PT!

“Política é a arte de conciliar os interesses
próprios, fingindo conciliar o dos outros”.
Menotti Del Picchia

Eu vi em São Paulo o começo do que seria o Partido dos Trabalhadores. Havia ideais, sonhos, havia firmeza de propósitos e centenas de pessoas que viriam a serem milhares em tempo razoável. O cenário de abertura política favorecia o surgimento de partidos, discussões sobre a participação política das pessoas após dezenas de anos na escuridão.
Neste sentido a gestão democrática de Franco Montoro – PMDB a frente do governo do Estado de São Paulo, foi um oásis dentro da política nacional. Ele incentivou a abertura democrática em SP, dialogou com quase todos os setores e motivou a discussão política dentro e fora das empresas estatais, inclusive incentivando a formação de Núcleos dos Partidos.
Entre eles surgia o Núcleo do PT, não com este nome no princípio, mas com seus aguerridos militantes querendo recuperar anos perdidos de democracia com o fim da ditadura ou pelo menos com a distensão gradual do regime até 1985.
Infelizmente ao contrário do que todos poderiam imaginar, com o tempo veio o crescimento, o amadurecimento com as derrotas a nível Estadual e Federal, e o poder com Lula em 2002. Neste período algumas vitórias significativas aconteciam em alguns municípios importantes do país.
Depois de 13 anos no poder a frente dos destinos da nação e das muitas gestões em governos Estaduais e municipais hoje o PT não tem nada para comemorar. Rasgou seu estatuto, perdeu sua ideologia da época do início do partido, humilhou seus militantes e fundadores, cujos princípios foram aviltados com tanta corrupção e desvios de toda natureza.
Tudo que se esperava que fosse acontecer ao contrário das gestões da ARENA, PDS, PFL, PMDB e PSDB foram desmentidas. Ao contrário, agravaram-se os problemas, aumentaram a carga tributária, reduziram a pó toda e qualquer esperança de um futuro digno para os aposentados e trabalhadores deste nosso imenso país.
Sem contar que roubaram mais e se perderam no submundo das propinas, das fraudes licitatórias e dos paraísos fiscais que tanto criticaram antes de tomarem o poder nas eleições passadas.
A credibilidade do partido beira a zero, assim como a avaliação da gestão de Dilma é um traço nas pesquisas que estão por vir. Fruto do completo distanciamento do partido e seus caciques para com a ética, a moral, a probidade administrativa e o combate à corrupção.
Os petistas, José Dirceu, Vacari Neto, José Genoíno e Lula estão perdidos entre o mensalão e o escândalo das propinas na Petrobrás que está agonizando na Bolsa de Valores e sem credibilidade no setor petroleiro mundial. Sujos de lama do fundo do poço onde eles ajudaram a colocar o partido outrora promissor, que hoje é odiado com razão pela mesma classe média que os ajudou a eleger.
Essa escuridão que experimentam agora, não deverá ser iluminada em 2016 nem em 2018, quando acontecem novas eleições no país. O povo mesmo que de lanternas nas mãos vai cobrar caro cada voto que for pedido pelos caras sujas do PT. As propinas jamais serão esquecidas por boa parte do povo brasileiro, nem devem, diga-se de passagem.

3 de julho de 2015

Sequestradora tratada com consideração pela Justiça!

“O juiz é condenado quando
o criminoso é absolvido"
P. Ciro

Nossa justiça continua dando exemplos de que entre o cidadão comum e trabalhador que paga pesados tributos ao país e um criminoso, sua opção no sistema judiciário é geralmente pelo criminoso.
São muitos os exemplos de tratamento VIP que assassinos estupradores e demais párias da sociedade recebem em detrimento do que é oferecido ao cidadão de bem da nossa sociedade.
Recentemente uma criminosa sem escrúpulos tirou do colo de uma jovem mãe uma criança recém-nascida. O motivo torpe seria levar a neném ao namorado presidiário e tentar manter o namoro com o marginal, cuja família, não aceitava o relacionamento entre o rapaz mais jovem e a mulher que não pode ter filhos. (Seria cômico se não fosse trágica as exigências da família do marginal).
Neuza então resolveu sequestrar uma menina recém-nascida para que esta pudesse se passar por sua filha. A meliante em parceira com outra mulher e contando com a ajuda da própria filha de 15 anos de idade planejou o golpe.
Elas então roubaram a criança da mãe num terminal de ônibus de Várzea Grande - MT. A sequestradora colocou a arma de fogo na cabeça da pobre mãe, enquanto sua filha tirava à força a neném dos braços da mãe. Uma cena forte, que pode estraçalhar o coração de qualquer pessoa neste mundo.
A polícia foi avisada e começou a busca pelas sequestradoras na cidade e região. Uma denúncia anônima realizada seis horas após o sequestro levou os policiais ao local onde a criança estava com a sequestradora. Os policiais efetuaram a prisão das criminosas e levaram a criança de volta aos braços da mãe e familiares que estavam aflitos em Várzea Grande.
A delegada interrogou as criminosas, montou o processo e mandou recolhe-las a um presídio feminino em MT.
Eis que surge a surpresa inimaginável, para a qual não existem justificativas plausíveis que deem a ela sustentação. O Juiz não manteve as criminosas presas, nem estipulou fiança. Simplesmente as liberou pela porta da frente do presídio para voltarem para Várzea Grande e responderem pelo crime hediondo em liberdade.
Como pode um juiz se basear em um processo onde uma recém-nascida é retirada sob a força de uma arma de fogo do colo da jovem mãe, sequestrada e poder ficar em liberdade para responder o processo?
Será que a Justiça perdeu o bom senso? Será que os juízes receberam ordens superiores para não mandar para os presídios lotados mais criminosos?
Ou será que este juiz em particular acredita mesmo que está criminosa não deva ficar recolhida, longe da sociedade que ela tanto odeia?
O argumento do magistrado é estapafúrdio, diz ele que não qualificaria o crime como sequestro, mas sim como apropriação indevida de incapaz. Difícil crer que num país onde a violência está em todos os cantos, um magistrado consiga justificar aquilo que é injustificável.
            A possibilidade desta criminosa responder o processo em liberdade é um prêmio para ela e um incentivo gigante para todos os demais criminosos que pretendem aterrorizar outras famílias brasileiras.

30 de junho de 2015

Algumas coisas que nos irritam e começam com "P" no Brasil!

Não há nada como regressar
a um lugar que está igual para
descobrir o quanto a gente mudou.

Outro dia o Júlio, um rapaz que faz a limpeza e manutenção da piscina em tom de brincadeira disse:
_ Todas as profissões que começam com “P” dão trabalho. Completou dizendo que listaria alguns exemplos enquanto ria: Piscineiro, Pedreiro, Pintor e Político.
Claro que, ao longo da vida de qualquer pessoa uma vez ao menos ela teve problemas com estas e outras tantas profissões que são ocupadas por seres humanos, portanto, passíveis de falhas.
Pensei então em escrever algo sobre o assunto, abordando, porém não somente as profissões, mas algumas coisas que irritam e muito os brasileiros em geral e começam com a letra “P”.
Com certeza se eu parasse aqui neste pequeno trecho a maioria dos leitores iriam lembrar-se deles, os indefectíveis e sempre regulares Políticos, eles mantém a regularidade na mediocridade de suas atuações e não deixam a peteca cair jamais, são imbatíveis quando analisamos qualquer coisa que nos irritem no país.
Junto com os políticos não tem como dissociar o que os abriga, os mantém vivos que são os seus Partidos Políticos, um mal necessário a toda democracia, mas que no Brasil são criados por finalidades diversas daquelas conhecidas em boa parte do mundo. Aqui se procriam como Gremlins ou Ratos no submundo da vida nacional. Quando você menos espera surge na TV uma nova sigla.
Com os Políticos e seus Partidos surge outra palavra que tem causado asco e muita revolta à população brasileira que assiste atônita ao desenrolar das investigações sobre Propinas no Brasil. Nunca se soube de tantas contas no exterior e tanto dinheiro recebido em troca de favores em Estatais, processos licitatórios e todos os tipos de falcatruas e favorecimentos.
Quando isso acontece aparece outra palavra que começa com “P” no cenário nacional. São as Peças Publicitárias pagas com nosso dinheiro para tentar nos enganar com relação às empresas, governos e pessoas envolvidas nos escândalos acima citados propiciados pelas Propinas recebidas.
Assim nós, brasileiros continuamos nossa jornada nesta passagem pela vida, sentindo-nos como se fôssemos verdadeiros palhaços da corte de governantes medíocres, corruptos e ladrões da esperança de uma Nação.
A imagem é forte, seus dizeres são contundentes, assim como é cruel assistirmos a cada nova eleição os mesmos corruptos serem guindados a novos cargos no legislativo ou executivo.
Para concluir, vamos esperar que esses sujeitos possam um dia, quem sabe, distante ou não, irem para um lugar que também começa com a letra “P” e façam dele a sua morada por muitos e muitos anos... Presídios.

Impostos ainda vão engolir este país!

De que adiantam leis quando há
miséria interior e esplendor externo?
Chuang Tzu



 Na manhã de 29 de junho de 2015, o povo brasileiro acordou e ficou sabendo que seu competente governo federal atingiu a marca obscena de R$1 trilhão em arrecadação de impostos. Dinheiro que além de ser uma quantia exagerada, tem o grande problema de não voltar em forma de serviços e obras para a sociedade que pagou estes impostos injustos e utilizados para bancar as despesas internas e externas deste governo pífio do PT.
Sem contar que este governo não reduz gastos com folha de pagamento nem com contratações equivocadas e passa o tempo aparelhando o Estado brasileiro, o que propicia apenas ganho para uma minoria da sociedade brasileira.
Nossa divida externa aumenta numa progressão geométrica enquanto acumulam-se problemas no seio dos lares brasileiros como, por exemplo, inflação, preços altos, desemprego, PIB ridículo, juros estratosféricos, corrupção, insegurança, obras paradas, orçamento nunca realizado, apesar de aprovado, cortes em área vitais e muita mentira, mas muita mentira nas peças publicitárias em toda mídia nacional.
O Brasil tem recursos, porém, falta vontade política, falta inteligência e honestidade de propósitos em todos os escalões governamentais. Todos querem poder, dinheiro fácil, enganar o povo, e, sempre que possível desviar recursos do erário para contas em paraísos fiscais.
A reforma fiscal nesta gestão da Dilma não virá jamais, pois o que o governo quer é fazer o chamado “Ajuste Fiscal” que significa literalmente aumento de impostos, e não a redução dos tributos com a possibilidade de acréscimo de arrecadação a partir de uma tributação mais justa.
Até o final de 2015 veremos a arrecadação ultrapassar um trilhão e meio de reais, o que é um escárnio para uma população que não tem segurança, o atendimento dos hospitais é um lixo, falta saneamento básico e Educação de qualidade em todo país.
A sociedade civil ao lado das entidades representativas de classes, segmentos representativos do Comércio e Indústria precisam lutar contra essa aberração que vivemos há muito tempo e que parece não ter fim. Dinheiro que se juntarmos aos desperdícios das obras paradas e mais o ralo gigantesco da corrupção poderiam transformar o Brasil numa Nação poderosa.
           Entretanto, ninguém reclama, nenhuma entidade representativa de classe luta para reverter essa lógica perversa no país. Ao contrário, recentemente vimos a FIESP através de seu presidente Paulo Skaf lutar junto com setores reacionários pela implantação da terceirização completa no país. Redução de impostos é uma bandeira que deveria ser de todo país, porém, fica esquecida e só é lembrada quando atingimos mais de um trilhão de arrecadação desta máquina trituradora de sonhos chamada Governo Federal do Brasil.

22 de junho de 2015

Aluga-se o Brasil!

“Eu não preciso ler jornais,
mentir sozinho eu sou capaz"
Raul Seixas

Em 1980 Raul Seixas escreveu uma canção chamada Aluga-se, onde propunha alugar o nosso país para os gringos. Com certeza motivado pela inércia, pela omissão das autoridades do país à época. A canção por incrível que possa parecer cabe como uma luva nestes tempos de PT no poder, de Congresso Nacional inócuo e de tantos partidos vendilhões ao redor do poder central.
O Brasil do futuro cantado pelos militares durante o golpe de 1964 não existe mais nem em sonho, pois até uma criança semialfabetizada sabe que o futuro só é possível com educação de qualidade, algo que inexiste no Brasil.
Somos um amontoado de milhões de pessoas sem ideais, remando contra a maré, num clima de democracia de ausentes e onde a ignorância é uma benção para milhões.
Vivemos numa democracia chula, liderados por políticos sem ética, sem moral, sem alma, conduzidos ao poder sistematicamente por uma população que desconhece o sistema eleitoral vigente e todas as suas consequências quando vota nulo, em branco, se ausenta ou elege puxadores de voto (Palhaços, artistas, bailarinas e outros candidatos por brincadeira).
Diziam na década de ’70 que a Amazônia era brasileira e precisava ser cuidada para não ser invadida pelos estrangeiros que estavam de olho na sua fauna e flora fenomenal. Pois eles invadiram, roubaram fórmulas e plantas e ninguém fez nada. Aliás, os próprios brasileiros estão derrubando a maior floresta do planeta para colocar pasto em seu lugar. Que povo é esse?
O falecido Raul Seixas, gênio da sua época, letrista maluco beleza, antevia na canção aquilo que efetivamente acontece quando percebemos que a indústria automobilística fabrica automóveis em suas matrizes e aqui põe para rodar Kombis, Fuscas, Gols e outras carroças sem itens de segurança, sem qualidade e conforto para os brasileiros rodarem em estradas de terceiro mundo.
O Brasil já foi alugado há muito tempo, só não foi vendido porque os gringos não querem comprar, apenas querem explorar nossas riquezas minerais e o trabalho semiescravo com nossa brava gente sem estudo e sem amor à pátria.
Salve Raul Seixas, abaixo os congressistas que preferem fazer marketing reverso na Venezuela para alimentar seus escusos interesses eleitoreiros do que efetivamente lutarem ao lado do povo para a melhoria da Educação, da Saúde Pública e da vida da nossa gente.
Link da canção Aluga-se de Raul Seixas https://www.youtube.com/watch?v=RU-gpUJug6I

13 de junho de 2015

Deputados - Quem deveria mesmo ser crucificado?

“Se governar fosse fácil, não seriam
necessários espíritos iluminados”
Bertold Brecht.

Um grupo de parlamentares adentrou o plenário da Câmara Federal para protestar contra uma simulação de crucificação de uma transexual ocorrida durante a Parada Gay em SP. Os deputados portando faixas, cartazes e pôsteres levantaram a bandeira da moralidade e a defesa da religião.
 Seria cômico se não fosse trágico ver os arautos da ética, da honestidade e do respeito ao povo brasileiros e suas instituições marchar alegres ao redor da mesa da presidência da Câmara como se estivessem numa parada Homofóbica.
Estes mesmos senhores que trabalham pouco, recebem salários e adicionais que elevam seus vencimentos para quase cem mil reais ao mês e que não trabalham mais do que dois ou três dias por semana, são aqueles que agora resolveram defender a moralidade?
Será que não andaram vendo os noticiários nos últimos meses, contendo escândalos do Petrolão, Cartel dos Trens, Propinoduto, Caso Zelotes, HSBC... Nestes casos eles não se revoltaram tanto quanto a imagem da transexual na avenida paulista.
Estes nossos representantes ficam indignados com passeatas gays, porém, não sentem nada quando ficam sabendo que coleguinhas seus evadem divisas, lavam dinheiro, recebem propinas de empreiteiras, maculam nossa constituição e roubam a esperança do nosso povo.
Fico imaginando como seria interessante se os deputados indignados ao invés de tomarem a Câmara resolvessem organizar uma enorme Marcha pela Ética e Respeito na mesma Avenida Paulista. Carros alegóricos com logo dos patrocinadores (Bancos, Empreiteiras, Financiadores de Campanha) desfilando com tudo custeado pelo dízimo auferido no domingo anterior ao desfile nas muitas igrejas e congregações religiosas que ajudam a bancar estes senhores “protetores” da família brasileira e da moral cristã.
Estes vagabundos deveriam ter vergonha na cara de se meterem a defender algo que não possuem. A Marcha Gay em SP pode ter exagerado na alegoria da transexual, pode ter sido de mau gosto, ninguém é perfeito, mas daí a querer arvorar-se como defensor dos bons costumes vai uma enorme diferença.
O povo brasileiro sabe muito bem quem deveria ser crucificado, e, desta vez, com toda certeza não seria o ladrão Barnabé, mas sim, os ladrões do futuro do povo brasileiro, travestidos de parlamentares.

21 de maio de 2015

Entidades com total liberdade para manusear fortunas!

A irracionalidade de uma coisa não é
argumento contra a sua existência,
mas sim uma condição para ela. 
Nietzche.

No Brasil, as Federações, Confederações, Comitês e outras entidades esportivas que agregam e representam milhares de atletas e clubes recebem verdadeiras fortunas de seus filiados, dos torcedores e do governo federal. São bilhões de reais que entram em contas jamais investigadas pelos órgãos que deveriam fazê-lo, mas não o fazem.
A maioria dos clubes de futebol deve para o governo pelo não recolhimento de impostos, o governo não executa a dívida como faz com o cidadão comum por medo de retaliações. Algumas federações tem no seu comando a mesma figura nefasta há anos, sem que nada seja feito em nome da decência, do estatuto de torcedor ou da moralidade.
Apesar de tantos recursos os resultados do esporte brasileiro são pífios no exterior, não formamos atletas de ponta, nem tampouco construímos centros de excelência para o esporte olímpico. Construímos na verdade arenas para Copa do Mundo, cuja maioria está deteriorando e sem uso frequente.
As federações que comandam o futebol são exemplo de que o dinheiro arrecadado com o esporte das multidões e paixão de parcela considerável dos brasileiros não tem fiscalização alguma. Ao invés de ser destinada aos clubes pequenos do interior do país, esta fortuna está sendo utilizada para erguer sedes monumentais onde seus marajás desfilam carrões de luxo e uma vida incompatível com o que recebem.
Neste sentido a CBF é o ícone das arrecadações nababescas e dos gastos maiores ainda com terrenos, prédios e outros investimentos imobiliários. Alguns de seus dirigentes possuem Iates de luxo, mansões ou apartamentos de cobertura cuja renda seria difícil de comprovar caso houvesse uma investigação rigorosa.
As transações comerciais dos dirigentes parecem que possuem isenção fiscal e tributária neste país. A seleção brasileira de futebol virou uma verdadeira mina de ouro para empresários e a CBF. Contratos revelam (Fonte: Estadão/SP) que a entidade leiloou a seleção em troca de milhões de dólares em comissões a agentes, cartolas, testa de ferro e empresas em paraísos fiscais (Cadê vocês Ministério Público, Receita Federal e Congresso Nacional?).
A situação se estende aos esportes olímpicos que recebem verbas vultosas do governo federal oriundas de programas sociais e loterias da Caixa. São patrocinados pelo Banco do Brasil e ainda assim não conseguem ter estrutura compatível com a receita recebida. Em parte o dinheiro não chega ao seu destino final, ficando pelo caminho nas mãos de terceiros, de ONGs ou de dirigentes inescrupulosos que habitam o cenário esportivo nacional.
Se o Brasil fosse um país sério... Se tivesse uma Justiça proativa e célere... Se não tivéssemos tantos “se” para justificar nossa ineficiência ampliada pela nossa burocracia corrupta, talvez os milhares de contratos que circulam no esporte nacional fossem auditados e o mundo saberia a verdade sobre a quantidade de recursos do esporte que estão descansando no exterior em paraísos fiscais.
Até que isso aconteça - “Bem amigos da Rede Globo”...

16 de maio de 2015

Dinheiro público ou privado? Tanto faz, é caixa 2 o problema!

"Todo governo que não age na
base do princípio da república, isto é,
que não faz da 'res publica' o seu objetivo
completo e único, não é um governo bom."
Thomas Paine.

No momento em que alguns setores da sociedade começam a se interessar pela discussão de itens da possível reforma política, um item ganha destaque – Financiamento das Campanhas eleitorais. Entretanto, precede que se discuta primeiro o fim do caixa 2, a punição severa para a sonegação, lavagem de dinheiro e outros crimes correlatos no país.
O mais recente exemplo vem de Londrina (PR), onde um auditor da Receita Estadual preso naquela cidade afirmou, em depoimento ao MP, que a campanha da reeleição do governador Beto Richa (PSDB) recebeu parte da propina do dinheiro desviado dos cofres públicos do Paraná. Cerca de R$ 2 milhões foram repassados à campanha eleitoral de Richa.
Por infeliz coincidência, o segundo mandato de Beto Richa está marcado desde janeiro na sua posse, por uma crise financeira interminável, que culminou com uma greve dos professores da rede estadual e depois dos servidores, quando estes tiveram seu fundo de Previdência vilipendiado pelo governador e sua base aliada na Assembleia.
O governador nega, o PSDB nega o que não deixa de ser prática normal, o PT também negava. Todos negam, porém, é preciso que o MP vá fundo nas investigações, assim como a Justiça está fazendo no próprio Estado do Paraná com o juiz Sérgio Moro na operação Lava a Jato.
Não se pode conceber que dinheiro de campanha eleitoral seja desviado para caixa 2, prática comum, realizada impunemente por quase todos partidos no país.
Ainda é cedo para afirmar que Beto Richa seja culpado, afinal de contas, deve-se apurar com rigor e cuidado todas as denúncias do auditor preso e dos envolvidos nos esquemas citados por ele nos seus depoimento preliminares.
Mas o caso serve como exemplo para que a sociedade fique atenta, com relação à forma de financiamento a ser proposta pelos nossos atuais congressistas. Não importa em princípio se privada ou pública, desde que haja rigor absoluto na apuração, fiscalização e controle dos TSE, MP e demais órgãos afins do país.
Basta de tanta corrupção, de tanta desfaçatez de políticos que se passam de honestos enquanto seus partidos manipulam dados, verbas, recursos públicos ou provados à revelia das leis. Infelizmente, mensalão, escândalo da Petrobrás, não são exclusividade de um partido, existem muitos golpes, operações e corrupção no subterrâneo da política brasileira, onde o povo é coadjuvante num processo que deveriam ser atores principais.

15 de maio de 2015

A pouco divulgada Operação Zelotes!

"O orçamento deve ser equilibrado,
o Tesouro Público deve ser reposto,
a dívida pública deve ser reduzida,
a arrogância dos funcionários públicos
deve ser moderada e controlada,
e a ajuda a outros países deve ser eliminada,
para que Roma não vá à falência.
As pessoas devem novamente aprender a trabalhar,
em vez de viver à custa do Estado ".
Ano 55 a.C. Marco Túlio Cícero

A operação Zelotes deflagrada há dois meses pela Polícia Federal depois do recebimento de uma carta anônima, embora seja comprovadamente um dos maiores esquemas de sonegação fiscal já descobertos no Brasil não tem destaque algum na nossa grande mídia. Nem as revistas nem os telejornais, tampouco os jornais impressos abordam o tema como o fazem, por exemplo, com a Operação Lava a Jato.
As quadrilhas atuavam junto ao Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), órgão ligado diretamente ao Ministério da Fazenda. A entidade é um tribunal administrativo formado por representantes da Fazenda e dos contribuintes (empresas) que julga hoje processos que correspondem a R$ 580 bilhões.
O nome Zelotes vem do adjetivo zelote, referente àquele que finge ter zelo. Ele faz alusão ao contraste entre a função dos conselheiros do Carf de resguardar os cofres públicos e os possíveis desvios que efetuaram.
O prejuízo inicial apurado era de aproximadamente R$ 6 bilhões de reais aos cofres públicos. Estão sob suspeita processos que giram em torno de R$ 19 bilhões devidos ao fisco. Só para se ter uma noção de grandeza deste esquema de fraudes, o prejuízo de seis bilhões equivale a três vezes o dinheiro desviado da Petrobrás.
A investigação atinge processos desde 2005, neste pacote de sonegação e fraudes estão sendo investigados 74 empresários, empresas e entidades como a Petrobrás, Embraer, TIM e o PP - Partido Progressista.
Em doze processos a polícia encontrou "elementos consideráveis de irregularidades". Estão nesse grupo Gerdau e RBS; as companhias Cimento Penha, J.G. Rodrigues, Café Irmãos Julio, Mundial-Eberle; as empresas do setor automotivo Ford e Mitsubishi, além de instituições financeiras como Santander, Safra, Bradesco e Boston Negócios.
Outros, porém, foram procurados por facilitadores que intermediavam o suborno a conselheiros do órgão, mas ainda não há contra eles elementos que comprovem o pagamento de propina. Em meio ao escândalo, o Carf suspendeu todas as sessões de 2015, sem adiantar prazo para que as datas sejam revistas.
A Operação Zelotes aponta que as quadrilhas formadas por conselheiros, ex-conselheiros e servidores públicos, usavam o acesso privilegiado a informações para identificar "clientes", contatados por meio de "captadores", que poderiam ser empresas de lobby, consultorias ou escritórios de advocacia.
Um aspecto do funcionamento do Carf chamou a atenção do Ministério Público. "Havia uma série de advogados pleiteando uma cadeira no conselho, embora a função não seja remunerada", diz o procurador federal Frederico Paiva, responsável pelo caso.
Pelo que podemos perceber o golpe era gigantesco, motivo de estranharmos a omissão e o silencio da nossa grande mídia para com o caso. Silencio que também persiste no Caso HSBC que encontrou contas de centenas de brasileiros na Suíça, com indícios claros de sonegação fiscal e evasão de divisas. Nomes omitidos, origem, etc. e enquanto isso overdose de Lava a Jato na mídia, futebol e novelas.