11 de junho de 2010

Breves comentários sobre as coisas do Brasil!

DIVISÃO DOS ROYALTIES

A decisão do Congresso Nacional de dividir todos os contratos de royalties advindos da extração do petróleo no mar e da futura extração do chamado Pré Sal não tem vencedores. Ao dividir toda a verba milionária por entre os vinte e sete Estados da União ao invés de permitir que essa verba seja dividida apenas e tão somente entre os Estados produtores o Congresso jogou fora uma grande oportunidade de decidir tecnicamente e não fisiologicamente uma questão tão séria. O dinheiro será na maioria dos Estados gasto em coisas que passarão longe, muito longe das reais necessidades básicas do povo.

NOS TRILHOS OUTRA VEZ

Os Estados de SP e MG comandados por coincidência pelo PSDB há 16 anos acabam de anunciar investimentos da ordem de R$ 15 bilhões no setor ferroviário para a construção de Metrô, Trens de Carga e passageiros e no sistema VLT – Trem de Alta Velocidade. É estranho que o PSDB que privatizou o sistema ferroviário e com isso tenha provocado o sucateamento do sistema ferroviário brasileiro venha agora 16 anos depois mudar seu foco e sua opinião quanto à eficácia desse sistema. Assumiram o erro ou esqueceram o que fizeram no verão passado?


ONDE ESTÃO OS RÉUS?

Por onde anda os processos do assassino e réu confesso Jornalista Pimenta? Aquele que matou covardemente sua namorada e que vem obtendo através de recursos vários a sua permanência fora da prisão. E a Dona da Daslú que foi presa, julgada e desapareceu alegando um câncer onde está cumprindo pena? Em Londres? E aquela proprietária de uma grife famosa dos Shoppings de luxo de SP? A justiça do andar de cima do Brasil anda sempre numa velocidade conivente com seus acusados, geralmente demora tanto que acaba deixando prescrever o processo. Vide Maluf e tantos outros. Agora quando a coisa é no andar de baixo, a justiça acusa, julga e cumpre.


ACABANDO COM O CRAC (QUE)

O presidente Lula acaba de discursar com veemência dizendo que vai acabar de uma vez por todas ou ao menos combater com todas as suas forças o CRAC, droga que vem destruindo milhares de jovens pelas ruas das periferias das grandes cidades. Claro que isso é só um discurso, o governo federal não garante nada, não faz nada e isso é apenas mais um discursinho demagogo em ano de eleições. Agora Lula já pode se orgulhar de um brasileiro que levou a sério seu discurso trata-se de Dunga, ele não levou Crac (que) para a Copa da África, deixando-os todos de fora de sua seleção.

VIDA BOA DAS CONCESSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS NO BRASIL

Os editais de concessão de serviços públicos brasileiros impingiam uma série de obrigações às empresas que viessem a adquirir os direitos de concessão de serviços de Telefonia, Energia Elétrica, etc. Entretanto, desconheço alguma fiscalização ou ação do Governo Federal ou Estadual que vise cobrar dessas empresas a execução de suas metas pré-estabelecidas em Editais.

Por exemplo: As empresas de concessão de Energia Elétrica não deveriam oferecer um aumento na oferta de energia em 15%? Quem está cumprindo ou já cumpriu essa meta em SP, por exemplo? Com a palavra o Ministério Público e as concessionárias...Me engana que eu gosto!

Nova fonte de energia alternativa

O mundo procura alternativas viáveis de energia renováveis para substituir as energias advindas do petróleo, hídrica e demais alternativas existentes que prejudicam o meio ambiente. A energia Eólica já está sendo utilizada em larga escala em alguns países da Europa como a Dinamarca, por exemplo, com muito sucesso. Na Espanha utiliza-se com eficácia na região de Sevilha a energia solar.

Essas alternativas jamais foram utilizadas em larga escala no nosso país, aqui consumimos energia advinda de grande Usinas Hidrelétricas, cuja fonte é limpa, porém a sua construção demanda um estrago sem precedentes na natureza para a formação dos lagos gigantescos.

Ter energia limpa oriunda de fontes renováveis é o sonho do mundo moderno, onde a dependência do petróleo precisa cada vez mais ser reduzida. Até por que o petróleo polui e um dia vai acabar, deixando o mundo industrializado sem saída. Para isso, são necessário pesquisas científicas e grandes investimentos em processos alternativos na busca por energia limpa.

Aqui no Brasil temos uma alternativa que está sendo pesquisada em laboratórios secretos do governo federal e que poderá ser a salvação do Brasil no futuro. Ainda em fase de testes, mas quando for desenvolvida vai trazer divisas e tranqüilidade ao país.

Trata-se da energia desenvolvida a partir da Corrupção, um poderoso motor que alavanca o país há pelo menos quinhentos anos. Sua origem é suja, mas depois que é processada torna-se limpa com as sucessivas “lavagens” que recebe no decorrer do processo.

Sua maior vantagem está na sua fonte inesgotável que brota em todo país de norte a sul, se renovando automaticamente e sem que seja bloqueada em quaisquer instâncias.

Os cientistas deram ao processo o nome de ELGOLPIEnergia Limpa Gerada Ostensivamente com Lucro no País Inteiro. Como é uma energia que não para de aparecer naturalmente pode ser utilizada nos meios de transporte, na industria, no comércio, nas residências, enfim, pode iluminar e energizar o país inteiro.

Os cientistas pensam até em exportar Elgolpi para o Mercosul e depois para outros continentes que sofrem com a escassez de energia. O vento pode cessar, o sol pode se esconder, a água pode acabar, o petróleo acabará um dia, mas a corrupção jamais acaba no Brasil, a Justiça cuida para que ninguém do meio político e empresarial seja efetivamente punido, o que faz com a corrupção seja perene no nosso território.

3 de junho de 2010

Começou a Copa da gastança 2014

A Secretária de Esportes, Turismo e Lazer do Estado do RJ acaba de anunciar que as obras da segunda fase de remodelação do Estádio do Maracanã visando a Copa de 2014, terão o custo de R$ 720 milhões e serão executados com nosso dinheiro, ou seja, recursos públicos.
Muitas questões poderiam ser levantadas e a secretária Márcia Lins deveria responder ao conjunto da sociedade algumas perguntas que passam pela cabeça de milhões de brasileiros que infelizmente não podem ou não sabem como fazê-la, em nome delas vou formular essas questões a seguir:
1. Por que a remodelação do Maracanã consumirá R$ 720 milhões, se no ano de 2007 o mesmo estádio abrigou os jogos Pan Americanos e foi reformado por completo para aquela ocasião?
2. Por que a construção de um novo e moderno estádio para a Copa do Mundo pode custar menos que a remodelação de um estádio que acabou de ser reformado para o Pan Americano, três anos atrás?
3. Um estádio que foi construído e reza a lenda abrigou 200 mil torcedores em 1950 na final da Copa do Mundo e teve público registrado de até 169.000 torcedores em jogos da Seleção do Brasil agora se prepara para encolher e abrigar apenas 76 mil pessoas?
4. A simples colocação de cadeiras reduz o número de torcedores, isso é sabido, entretanto como podemos entender que um Estádio perca mais de 100 mil lugares com essa remodelação e modernização?
5. Alguém do governo do Rio de Janeiro poderia explicar ao povo brasileiro cada detalhe da tal obra de remodelação, detalhando aonde serão torrados tanto dinheiro público?
6. Não seria mais fácil se fizéssemos como alguns países do primeiro mundo como a Inglaterra que derrubou seu lendário estádio de Wembley em Londres e construiu outro mais moderno e seguro?
7. Não é estranho que a Associação Ferroviária de Esportes da cidade de Araraquara – SP tenha construído uma Arena para 25 mil pessoas confortavelmente sentadas ao custo de R$ 56 milhões, fazendo com que um leigo possa depreender que se gastássemos três vez mais poderíamos remodelar o Maracanã que terá 75 mil lugares e já está pronto?
8. Quem fez o estudo que determinou esses preços fora do mercado para definir a licitação?
9. Por que gastar dinheiro que poderia ser utilizado na construção de centenas de escolas, hospitais se após a Copa do Mundo a idéia deste governo é terceirizar o Estádio? Gastaremos o dinheiro do povo e depois daremos o estádio para particulares usufruírem a sua estrutura?
Muitas outras perguntas poderiam ser feitas a nobre Secretária do RJ, entretanto a febre que toma conta dos governantes envolvidos nestes projetos de Copa e Olimpíadas impede que nos respondam, porém caberia aos deputados do Estado do RJ, argüirem essa gente e questionarem tanto gasto público.
Somos um país pobre metido a novo rico, queremos fazer aquilo que não devemos e nem precisamos na verdade, afinal de contas não somos potencia olímpica, não temos sequer algum projeto em funcionamento para que nossas escolas públicas tenham uma quadra de esportes em condições de uso, não temos centros de excelência para formação de nadadores, praticantes de atletismo, basquete, vôlei, canoagem, etc. Mas queremos torrar bilhões num projeto megalomaníaco que trará poucas medalhas, alguns turistas e muito, mas muito prejuízo ao erário.
Esse valor divulgado para nova reforma do Maracanã mereceria uma CPI especial no Congresso Nacional, pois com certeza muita areia, está escapando por entre os dedos de muitas mãos...As mesmas mãos que estão no logo da Copa 2014, um dos mais perfeitos logos já idealizados no Brasil. Muitas mãos metendo a mão na taça.

O que os Governantes se recusam a fazer?

Não me recordo de um governo sequer em nosso país seja na esfera Estadual ou Federal que tenha tido a coragem e a inteligência de realizar uma profunda reestruturação administrativa durante suas gestões.
Gastam sem saber o porquê, torram dinheiro com vultosas folhas de pagamento e não sabem quem estão pagando, onde os funcionários estão alocados e quais são as deficiências e os pontos de gargalos de seus governos.
Enquanto incham a máquina administrativa com empregados através de concursos públicos e com assessores sem concursos, fica evidente a falta de critério e capacidade da nossa classe política. Não planejam, não priorizam ações pró-ativas, não pensam, apenas gastam nosso dinheiro como se fosse nosso, por que se fosse deles não o fariam com certeza.
Assumem o poder pensando na reeleição deles próprios ou de seus aliados, nunca pensam no real objetivo para o qual foram eleitos, aliás, deletam tudo que falaram, ouviram e pensaram entre o último dia antes das eleições e o dia da posse.
A outra parte do dinheiro que é para eles sagrada chama-se verba para propagandas em todas as mídias disponíveis no mercado. Torram milhões todos os anos e nunca cortam um centavo dessa verba, haja a crise que houver, cortam da Educação, Saúde, Programas Sociais, mas nunca da propaganda.
No âmbito federal nem Sarney, nem Collor, nem Itamar, nem FHC e muito menos Lula, fizeram algo que pudesse ao menos se assemelhar com uma pequena reforma na obesa máquina de triturar dinheiro conhecida como estrutura do governo federal. Não podem nem querem demitir ninguém por mais ocioso que possam estar em suas funções.
Também não realocam ninguém mesmo sabendo que isso evitaria ociosidade, desperdício e a existência de áreas carentes de mão de obra qualificada, principalmente nas atividades de fiscalização. Se fizéssemos um Raio-X imenso do funcionalismo público federal ficaríamos estarrecidos com a quantidade de empregados ociosos, usufruindo licenças intermináveis, fora de suas atividades profissionais e sem quaisquer necessidades.
Em compensação iríamos descobrir muitos buracos negros, onde faltam empregados, sobram problemas e não existe qualquer iniciativa do governo para saná-las. Tem professor na área de saúde, profissionais qualificados totalmente fora das atividades para as quais foram concursados. Engenheiros fora de sua área de atividade, técnicos agrícolas na previdência e assim por diante.
Uma torre de babel que ocorre pela falta absoluta de comprometimento dos mesmos políticos que ficam durante anos desperdiçando tempo e dinheiro de uma sociedade que carece urgente de um Estado forte, soberano e eficiente.

Lá fora punições, aqui abrandamento de penas

No Brasil pouca gente é punida pelas leis que estão em vigor, raramente alguém que é condenado cumpre sua pena até o final determinado. A maioria sai em liberdade quer seja pelo uso da Progressão de Pena, ou por fuga, enfim, raros detentos cumprem pena até o final.
Crimes menores, que nos países desenvolvidos são passíveis de penas alternativas cujo rigor é o mesmo dos crimes hediondos aqui nem são levados em consideração, multas ou aquela estória já conhecida de todos, onde a Justiça finge que aplica uma punição em forma de serviços comunitários, cestas básicas e o infrator condenado finge ainda mais que cumpre.
Nos EUA uma atriz e misto de cantora deliquente, resolveu dirigir embriagada, algo normal em nossas ruas e estradas, entretanto como em todos os países desenvolvidos existe fiscalização constante, a deliquente Lidsay Lohan foi presa, julgada e condenada por dirigir alcoolizada.
Aqui o motorista pagaria a multa obrigatória de quase R$ 1 mil reais e sairia livre para voltar a dirigir embriagado ou não por nossas ruas, independente de ter causado acidentes ou provocado a morte de terceiros. No Brasil pagou a multa está de bom tamanho para os nossos governantes e nossa Justiça.
Nos EUA, a deliquente além de não poder dirigir, terá de usar um aparelho no seu tornozelo que detecta o nível de álcool no sangue. O que impossibilita a moça de ter quaisquer recaídas mesmo dentro de sua residência.
Aqui no terceiro mundo ainda discutimos a aplicação de leis e discordamos da eficácia delas, principalmente daquelas que cerceiam o ir e vir de menores pelas ruas após as 23:00 em algumas cidades. Querem liberdade para todos e não percebem que leis foram feitas para serem cumpridas e não para ficarmos brincando de primeiro mundo ao colocarmos em vigor estatutos que não condizem com nossa realidade.
Além de usar um aparelho delator no tornozelo ainda têm a obrigação de frequentar diariamente reuniões de reabilitação determinadas pela corte americana.
Nossos menores infratores matam, roubam, ingerem drogas a luz do dia e ainda contam com a superproteção de organizações que não lutam contra os governos, mas querem que o restante do conjunto da sociedade aceitem essa permissividade.
O menor carente deve ser amparado pela sociedade, devemos cobrar os governantes para que usem a montanha de dinheiro oriunda de nossos impostos em prol de uma sociedade justa, entretanto, devemos nos espelhar nos países de primeiro mundo e verificarmos como eles punem aqueles que não andam em consonância com as leis, sejam eles pobres, ricos, famosos, obscuros etc.