20 de maio de 2011

Dois países dentro do mesmo Brasil

O Brasil tem dados e números que poderiam deixar qualquer analista perdido em suas análises teóricas. Somos um país que produz minérios em quantidade que supera os demais países do mundo, temos riquezas infinitas em nosso solo, subsolo e nas águas da nossa imensa extensão territorial.
Possuímos matas e a floresta amazônica rica em produtos e subprodutos que atraem a indústria farmacêutica, cosmética e de outros segmentos pelo mundo afora. São incontáveis nossas possibilidades de exploração de turismo ecológico.
Temos em São Paulo números comparáveis as maiores metrópoles do planeta, na gastronomia, comércio, produção de veículos, compra e utilização da frota de helicópteros, enfim, números que assombram o mundo.
Sem contar a força da agricultura que mesmo sem o devido incentivo do governo é uma das mais produtivas do mundo. A indústria de agros negócios é uma realidade e já realiza grandes feiras e atrai milhares de investidores.
Do outro lado, nosso país, por não aproveitar o que tem de melhor e desviar através de seus políticos o fruto do que é arrecadado em impostos e outras receitas com corrupção, desperdício e desvio de finalidade possibilitam que tenhamos índices de IDH, Educação e Saúde abaixo de países muito pobres da África por exemplo.
Temos milhares de pessoas vivendo em extrema miséria, temos criminalidade assustadora, nossa saúde pública é uma das piores do mundo, nossa educação carece de investimentos na estrutura e no seu pessoal. Somos gigantes vivendo apequenados e sem nenhuma esperança de melhora.
Nossa classe político legislou durante um século em causa própria, excluindo qualquer possibilidade de termos um país justo que faça jus a democracia que foi reinstaurada há 25 anos. Vivemos eternamente com o slogan “Brasil, o país do futuro”. Tempo que não chega, pois estamos atrasados e vivendo das mazelas do passado e que infernizam nosso momento atual.
As propagandas a preço de ouro tentam transformar o Brasil em potencia mundial, mas a realidade das ruas e do povo é bem diferente. Temos combustíveis caros apesar de sermos auto-suficientes em exploração de petróleo. Pagamos a maior carga tributária do planeta e não temos nada em troca.
Enfim, o Brasil é uma grande incógnita, poderia ser a salvação do planeta, mas nem sua própria floresta, pulmão do mundo é tratada com respeito por seus governantes. Suas riquezas esvaem por tratados que prejudicam o povo e enriquecem empresários gananciosos.
O país do futuro jamais se livrará do seu passado e se no presente não mudar sua forma de encarar o mundo globalizado ao seu redor. É preciso dar valor a sua gente, recuperar o tempo perdido, missão quase impossível diante da falta de qualidade dos nossos políticos.

13 de maio de 2011

Querem criar mais um devorador de impostos

"Aos que me podem ouvir eu digo: "Não desespereis!”
A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o
produto da cobiça em agonia,
da amargura dos homens que temem o avanço humano..."
Charles Chaplin

O Brasil já possui 27 Estados e o que menos precisa neste momento é da criação de um novo Estado para absorver bilhões das reservas públicas. Consumir milhões com a duplicação da estrutura já existente no Estado a ser dividido, que no caso é o Pará.

Não me interessa as questões técnicas, quem defende a divisão do Pará ou a criação de um novo Estado nem o seu possível futuro nome. Isso é um crime contra o povo do Pará e do Brasil inteiro.

Já vimos este filme várias vezes no nosso país, dividem um Estado, criam milhares de cargos, fazem as indicações sem concurso público, torram milhões do nosso dinheiro para montar sedes de governo, palácios para a instalação da sede do Poder Judiciário e Poder Legislativo.

Criam novas Estatais, nova bandeira, novos símbolos, tudo isso a preço de ouro, sem que o contribuinte tenha necessariamente alguma vantagem com a divisão de um Estado antigo e que bem ou mal poderia ser melhorado sem ser dividido.

Os partidos se alvoroçam e entram em luta para assumir o poder no novo Estado a ser criado, são duas eleições a mais na região, com mais deputados estaduais e federais, sem contar que terão quatro senadores ao invés dos dois atuais. É uma mamata sem precedentes para muita gente.

Alguns espertalhões vão ganhar muito dinheiro e o povo como sempre vai pagar por tudo na forma de impostos e do desperdício brutal de dinheiro que poderia ser encaminhado para saúde, educação e segurança no Pará.

Estamos cheios de municípios quase insolventes, que não tem receita suficiente e esbanjam despesas sem sentido, pois foram criados de forma política por indivíduos sem capacidade alguma e sem a mínima preocupação coma coletividade.

Temos políticos demais, temos honestidade de menos em nosso país. Sobram espertalhões sem escrúpulo algum querendo sempre achar um meio de dilapidar o erário a revelia do povo e sem que a sociedade seja ouvida para opinar sobre o que está sendo decidido em gabinetes que representam a corrupção e os desmandos.

O Brasil precisa de muita coisa, na maioria coisas simples como trabalho, honestidade, educação, saúde e vergonha na cara. Precisamos de Justiça e não de mais bandalheiras como esta idéia sem pé nem cabaça de formar novos Estados ou dividir os já existentes.
















9 de maio de 2011

O PT premia suspeitos e joga no lixo seu estatuto

“Quando o dinheiro fala, a verdade cala"
Provérbio Chinês


     A aceitação do petista Delúbio Soares pelas bases do PT – Partido dos Trabalhadores, sendo reintegrado depois de ter sido associado ao Mensalão em Brasília mostra ao povo brasileiro que o PT perdeu de uma vez por toda sua identidade com o trabalhador que diz representar.
     Rasgaram a Cartilha e o Estatuto e ainda se defendem dizendo que o partido não pode aplicar pena de prisão perpétua contra ninguém. Ora bolas, não bastassem fazer acordos espúrios para apoios eleitorais com Sarney, Collor, Renan Calheiros e tantos outros, ainda permitem suspeitos de lesar o erário em suas tropas?
     "A política é construir uma sociedade nova, passo a passo, para alcançar dias melhores para todos. É um processo que cria oportunidade para o País superar a miséria, como fez o presidente Lula", afirmou Delúbio. Vejam que coisa meiga e linda diz o manganão que retorna ao velho posto.
     Segundo informações que circulam na internet, Delúbio Soares ex-tesoureiro do PT e suspeito de ser coordenador do Mensalão estava trabalhando como “Consultor da Incorporadora Brookfield que presta serviços ao governo federal.
     Ela já vendeu duas torres para a Previ, maior fundo de pensões do Brasil pela bagatela de R$ 342 milhões. A Brookfield também já construiu quase dois mil imóveis para o programa “Minha Casa, Minha Vida. A empresa do irmão de Delúbio Carlos Rubens Soares – Brasil Gerais para construir prédios do Parque Corporate vendido a Previ.
     Não bastasse isso vem o governo federal capitaneado pelo PT numa decisão pessoal do ministro da Defesa, Nelson Jobim, pela primeira vez no Brasil condecorar um ex-guerrilheiro com a Medalha da Vitória - comenda concedida a militares e civis que contribuíram para difundir a atuação do País em defesa da liberdade e da paz mundial, em especial na 2ª Guerra Mundial.
     O agraciado foi o ex-deputado federal José Genoino, que atuou na Guerrilha do Araguaia na década de 70 e hoje é assessor especial da Defesa. Brincadeira? Não, o governo brasileiro não brinca jamais com coisa séria.
     Os membros do Mensalão petista agora começam a voltar à ativa, recebendo prêmios, churrascos, reintegração aos cargos na direção do partido e na vida que foi interrompida pelos crimes cometidos ou pela suspeita não levada a sério pela nossa inconseqüente justiça.
     Aos poucos tudo vai voltando ao normal neste país sem vergonha, sem memória e sem justiça que é o pior de tudo, pois um trabalhador que não declarar imposto de renda, ou cometer qualquer deslize ficará marcado pelo resto da sua vida junto ao governo, aos órgãos de crédito e a justiça.
     A volta de Delúbio é um prenúncio do retorno de outros envolvidos em esquemas de fraudes e desvios de verbas públicas, afinal de contas Palocci é Ministro da Casa Civil, José Genuíno é Assessor do Ministério da Justiça, em breve José Dirceu assume um carguinho, Delúbio também e a coisa volta à normalidade.
     Claro que, outros partidos fazem e fariam o mesmo, mas o PT paga pela língua, pela forma agressiva que sempre discutiu com a sociedade a questão de que eram uma alternativa para tudo de errado que havia no pais. Não eram, são farinha do mesmo saco!