27 de fevereiro de 2013

Tudo errado do Bom Retiro à Oruro!

“Só o erro é que precisa apoio do governo.
A verdade, essa fica de pé por si própria”.
Thomas Jefferson

Uma sucessão de erros, mentiras e discussões inócuas cercaram uma simples partida de futebol pelo torneio Libertadores da América, que culminou com a morte de um garoto de 14 anos de idade dentro do estádio do São José de Oruro na Bolívia na noite de 20 de fevereiro de 2013. São tantas mentiras, tantas coisas sem explicações plausíveis que fica difícil encontrar algo que tenha sido feito à luz da lei e das regras no Brasil e na Bolívia.

Os torcedores da Gaviões da Fiel saíram do Bom Retiro que é um bairro tradicional de São Paulo para uma viagem de quatro dias que atravessaria parte do Brasil e da Bolívia. No pacote estavam inclusos além do transporte de ônibus o ingresso para a partida entre Corinthians x São José.

Como pode um menor de idade ter feito uma viagem internacional sem o acompanhamento dos pais ou de um responsável ao menos? Como durante quatro dias o ônibus atravessou o Brasil e a Bolívia sem que nenhuma autoridade verificasse a presença do menor e os malditos sinalizadores navais que eles levavam para o estádio? Policiais rodoviários estaduais, federais e a Polícia Federal estavam aonde?

Com relação aos sinalizadores, até uma criança sabe que são vendidos livremente na Rua 25 de Março em São Paulo, parece que a polícia e as demais autoridades são as únicas que não perceberam isso ainda. Mas isto é outra história... A rua 25 de março é zona livre, pode tudo, contrabando, sonegação, objetos para fraudes, tudo pode.

Ao chegarem à cidade de Oruro na Bolívia, os torcedores entraram no estádio sem que fosse feita a tradicional revista em todos os portadores de ingressos. Sendo um jogo internacional, seria o mínimo exigir que os documentos dos mesmos fossem conferidos, neste momento, o menor deveria ter que dar explicações as autoridade bolivianas.

Mas nada foi feito e antes da partida de futebol completar seu décimo minuto um sinalizador foi disparado erroneamente segundo a versão dos torcedores e atingiu em cheio o garoto de 14 anos Kevin Espada, boliviano que era natural de Cochabamba e que veio a óbito.

A polícia local então após a morte constatada do garoto boliviano resolveu prender doze brasileiros que estavam no meio do tumulto, próximo da onde teria sido disparado o sinalizador mortal. Ninguém foi identificado por câmeras de vídeo, nem por fotografias, apenas foram presos aleatoriamente.

A Conmebol – Confederação Sul-Americana de Futebol que tal qual a CBF é administrada por gente ultrapassada, retrógadas e que não entendem nada de futebol, resolveu punir o clube brasileiro impondo que o mesmo faça suas partidas sem público em São Paulo.

Nem para punir o dono do estádio boliviano, nem para questionar e interditar estádios que continuam permitindo a entrada de fogos de artifícios e sinalizadores, armas brancas. Nada, apenas o time visitante será punido.

Infelizmente o futebol assim como a vida na América do Sul é permeada por episódios grotescos que nos remetem a Idade Média. A organização de eventos é medíocre, enquanto a justiça desportiva e comum é arcaica, omissa e injusta.

Em pouco tempo a morte do garoto será esquecida, com a conivência de todos os envolvidos, afinal não punir exemplarmente quem permitiu a entrada de menores de idade e adultos carregando sinalizadores e outras armas é um ato circense. Tanto é que no dia seguinte a tragédia, nos jogos da mesma competição assistimos às torcidas utilizando de sinalizadores e fogos sem serem admoestados pela polícia.

Este episódio deveria servir de alerta e dar um basta para nossas autoridades, que permitem comercialização de produtos proibidos nas ruas, viagens para longe de nossas fronteiras sem fiscalização e todo tipo de irregularidades cometidas por toda espécie de pessoas, sejam bandidos ou não.

24 de fevereiro de 2013

Três diagnósticos errados!

“As dúvidas são mais cruéis
do que as duras verdades”
Moliére

Fiquei indignado com o calvário de um amigo por três consultórios médicos sem conseguir em seis meses obter o diagnóstico correto para o mal que o acometia. No Brasil a medicina atual pouco valor está dando para o correto diagnóstico, algo que pode salvar vidas, facilitar o tratamento e evitar desperdício de tempo, medicamentos e vidas.

Em São Paulo o Doutor Antônio Carlos Lopes é diretor da escola paulista de medicina e presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Considerado por seus alunos e colegas de profissão como um dos maiores experts brasileiros em diagnósticos precisos e rápidos.

Conto isso para falar de um caso envolvendo um amigo que me deixou indignado. Ele procurou o médico que sempre tratou de sua pele. Marcou consulta e o diagnóstico foi rápido, assim como o receituário que o mesmo passou para ele seguir. Segundo o qual se tratava de um problema cuja origem era bacteriana. Gabriel comprou a pomada creme e trinta dias depois percebeu que o doutor havia errado no diagnóstico.

Ele então procurou outro médico no seu caderno de conveniados do Plano de Saúde da sua cidade. Sua esposa indicou o filho de um dermatologista conceituado na cidade, que segundo ela poderia resolver seu problema rapidamente.

Alguns dias depois ele consegue uma consulta e o médico jovem ainda pede que ele faça um exame no próprio consultório. O exame fica pronto e o médico diz para ele que o problema é um fungo, para o qual então receita uma pomada, um remédio via oral para tomar por 50 dias e marca o retorno para quando ele tivesse terminado o tratamento.

Entre as duas datas, da consulta e do retorno ele volta ao consultório e passa por nova consulta, os pés estão piores, coça muito e começa a descascar as plantas dos pés. O médico mantém o remédio, mas acrescenta outra pomada para aliviar a coceira que estava levando Gabriel à loucura todas as noites.

O tratamento termina, mas nada de melhora, muito ao contrário, os pés estão cada vez piores e coçando muito. Sua esposa novamente o aconselha a mudar de médico. Mas de forma radical, pede a ele que esqueça o plano de saúde, procure um especialista que só atendia particular, visto que não constava de seu plano de saúde.

Marcada a consulta, lá foi o Gabriel desta vez com sua esposa Celina para o consultório ultramoderno e sofisticado do doutor Pedro. Ele examinou os pés com aparelhagem moderna e logo tratou de dizer que não sabia como seus colegas de profissão não haviam conseguido encontrar o diagnóstico correto.

Seu veredito, digo, diagnóstico era Psoríase - Doença inflamatória da pele, crônica, não contagiosa, multigênica (vários genes envolvidos), com incidência genética em cerca de 30% dos casos. Caracteriza-se por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas, que aparecem, em geral, no couro cabeludo, cotovelos e joelhos. O doutor pediu que Gabriel fizesse uma biópsia no local afetado e aguardasse 20 dias para retornar ao consultório.

Também receitou duas pomadas, um sabonete, mais um medicamento que na verdade era uma vitamina para o corpo. O Gabriel reclamou da coceira e ele então adicionou mais um creme para a lista dos medicamentos no receituário.

Gabriel fez o tratamento de forma correta, sem esquecer-se de nenhum detalhe. Voltou para saber do resultado da biópsia dez dias depois e para sua surpresa, não era psoríase, mas sim uma dermatite crônica espongiótica da pele.

Ele então voltou para casa acabrunhado e desolado com mais um erro de diagnóstico. Tomou vários remédios, passou vários cremes, passou por três médicos e estava sem saber a origem do problema que o deixava louco.
Sua esposa então olha para seus pés ainda calçados e diz:
_ Já sei o que está provocando este problema em seus pés;

_ O que meu amor, diga logo;

_ Pare de usar este tênis sem cadarço que você usa sem meias quando sai de casa. Ele é que está provocando todo este problema.

Desesperado ele assim o faz e dias depois percebeu que estava curado, não pelos médicos que estudaram para isto, mas sim por sua linda esposa que apenas usou de bom senso, observação e inteligência.

Gabriel está curado! Enquanto nossa medicina está doente.


20 de fevereiro de 2013

Justiça brasileira é esquizofrênica!

Há muitos caminhos para chegar ao mesmo lugar.
Velho ditado Apache

A reformulação completa do sistema judiciário deixou de ser um pleito de retórica, mas a cada novo dia ganha ares de clamor popular. Milhares de leis não garantem Justiça nem tampouco tranquilidade aos brasileiros da Banda honesta do país.

O outro lado denominado por mim de Banda Podre festeja, regurgita de felicidade ao ver o caos no sistema que deveria em princípio defender a sociedade desta corja que nos assusta, fere e mata nas ruas e até em nossas casas.

Inexiste rigor nas leis penais, pois elas foram com o passar do tempo sendo mansamente diminuídas com regras aprovadas nas esferas do poder para beneficiar criminosos comuns e do colarinho branco.

O facínora condenado a 50 anos de prisão em júri popular, não pode cumprir mais de 30 anos de reclusão. Sendo que sobre os trinta anos recaem benefícios que podem fazer com que o mesmo criminoso deixe a prisão após 5 a 8 anos de sua condenação.

Sem contar o rigor desproporcional que contrasta com a benevolência do sistema para crimes hediondos, crimes contra o erário e tantos outros. Senão vejamos:

Um cidadão que no almoço com a família venha a ingerir um ou dois copos de cerveja, se dirigir e for parado numa blitz será multado em R$ 1.960,00, terá CNH cassada por um ano, seu veículo apreendido e poderá ser preso.

No entanto se o mesmo cidadão consumir cocaína, maconha ou crack, ficar maluco beleza e for parado na mesma blitz do pai de família que tomou dois copos de cerveja, nada vai acontecer. Em SP na segunda semana de fevereiro deste ano um cidadão que havia fumado maconha foi parado na blitz, teve a maconha detectada no sangue e foi liberado tranquilamente para seguir sua vida de drogado.

Se você não pagar pensão alimentícia vai preso, dizem que este é um dos poucos pecados capitais para nossa justiça.

Não que a lei não devesse ser rigorosa para com este tipo de crime contra a mulher/mãe e seus filhos, o que irrita é o contraste para com quem comete crimes e muitas vezes sequer vai preso.

Um marginal que rouba, estupra, atropela ou mata alguém, contratando um bom advogado vai esperar por muitos anos em liberdade o seu julgamento. Se condenado, poderá apelar e aguardar em liberdade a conclusão da apreciação de seu recurso. Vide o médico Roger Abdelmassih ou o assassino Gil Rugai que matou seu pai e sua madrasta a sangue frio em SP e tantos outros.

O criminoso no Brasil tem Progressão de Pena, redução da sua pena máxima para no máximo trinta anos, indulto (Saidinha em todos os feriados), passagem rápida para o regime semiaberto, visitas intimas e mais o auxilia reclusão. Eles também usam celulares de dentro dos presídios para simular sequestros aterrorizando pessoas inocentes e comandar o tráfico de drogas e outras ações criminosas...

Ou seja, dois copos de cerveja em tese pesam muito mais do que muitas gramas de cocaína ou até um assalto à mão armada neste país.

Enviar dinheiro desviado do erário pode, afinal Cacciola, Dantas e Maluf estão nas ruas para provar a tese de que o crime compensa, desde que não esteja dirigindo após tomar dois copos de cerveja.

PS: Sou favorável ao rigor nas leis de trânsito, mas apenas gostaria de ver o mesmo rigor nos tribunais, nas penitenciárias e na aplicação das leis do país.

19 de fevereiro de 2013

Fabricantes de camisas de futebol deveriam levar cartão vermelho

“Quando o dinheiro fala, a verdade cala"
Provérbio Chinês

O salário mínimo vigente no país neste momento é de R$ 615,00 (Seiscentos e quinze reais) e a maioria dos brasileiros não recebem um centavo a mais do que este valor. Sendo que boa parte dos trabalhadores do Centro-Oeste, Norte e Nordeste sequer recebem um salário mínimo.

Enquanto isso os fabricantes e comerciantes de camisas de futebol praticam um preço extorsivo, abusivo e sem sentido na comercialização dos seus produtos. A maioria das camisas de clubes chega a custar entre 27 e 34% do valor do salário mínimo.

Veja alguns preços praticados numa das maiores redes de venda de artigos de futebol do país:
Clube              Fornecedor          Preço       R$ Custo x Salário Mínimo (%)
Flamengo         Olympykus           169,00                    27,50%
Grêmio            Topper                189,00                    30,73%
Fluminense       Adidas                 199,00                    32,36%
São Paulo         Penalty                199,90                    32,50%
Corinthians       Nike                    209,90                    34,13%

Percebemos que o valor independe do fornecedor, cidade ou outro motivo, são simplesmente um acinte os preços praticados sem que nenhuma autoridade investigue o porquê de tanta ganância e disparidade entre os preços dos produtos e o seu real valor.

O futebol está elitizado, deixou de ser um esporte do povo, os ingressos nos estádios custam entre R$ 50,00 e R$ 150,00 (24% do salário mínimo) sem direito a conforto, acesso, banheiros decentes, alimentação e às vezes até água potável.

Para ver em casa os jogos somente na TV aberta, pois no Pay Per View o custo é altíssimo do pacote que inclui Estadual + Brasileirão. Poucos podem se dar ao luxo de comprarem a assinatura.

E depois os otimistas esperam que o brasileiro comum veja algum jogo da Copa do Mundo no Brasil? Como? Imagina o custo dos ingressos e a ação livre dos cambistas que elevaram ainda mais os preços dos mesmos. Restará ver pela TV aturando Galvão Bueno e seu ufanismo barato.

Além deste fator monetário, ainda tem outro problema na hora da compra de material esportivo no Brasil, ao contrário dos EUA e da Europa.

Aqui as numerações das camisas são errôneas, o tamanho “M” mais parece um “P”. O “G” quase sempre é o maior tamanho disponível, também o mais difícil de encontrar nos estoques das lojas. Acima disso, dane-se o consumidor, quem está acima do peso que mude de esporte ou não se aventure a comprar camisas de seu clube ou seleção.

Nossa indústria nunca teve preocupação com numeração, cada qual faz do seu jeito e faz mal feito em geral. Eles têm uma única preocupação e esta eles cumprem à risca – Cobrar muito caro pelo produto que é a paixão de boa parte dos brasileiros.

Depois reclamam da pirataria... Pergunte ao povão nas calçadas das grandes cidades o que eles sabem a respeito deste assunto?

17 de fevereiro de 2013

Religiosos põe em cheque a fé!

“Diz à lenda que um príncipe Hindu, certa vez, chamou um ourives e encomendou uma joia que o moderasse em seus momentos de glória e grande alegria. E que ao ver-se em sofrimento ou em desgraça, esse objeto lhe pudesse trazer algo de consolo. O ourives então confeccionou um belíssimo anel com uma singela inscrição: Isso Passará!”
Logo após serem divulgadas as fortunas pertencentes aos próceres de algumas das mais conhecidas Igrejas evangélicas, contrastando com aquilo que muitas vezes é pregado à exaustão nos cultos, vem a público a renúncia estranha do Papa Bento XVI líder da religião Católica.

O catolicismo está atônito, órfão de um líder, um condutor que possa renovar sua religião secular, que possa fazer as adaptações necessárias para que a Igreja Católica consiga enfrentar novos tempos a partir deste século XXI.

Antes, porém, os católicos do mundo todo precisam saber a verdade sobre os motivos reais da renúncia de Bento XVI. Cansaço? Doença? Intrigas? Enfim, qual a agenda oculta que está por trás desta jogada de xadrez do Papa e seus cardeais?

Algumas horas após sua renúncia algumas denúncias ou suspeitas começam a percorrer os salões impenetráveis da Casa de Pedro. Crise financeira e desvio de recursos ou má aplicação dos mesmos? Desvio de finalidade? O que se passa nos bastidores da maior religião do mundo e a mais rica também?

São perguntas que precisam ser respondidas pelo comando da Igreja Católica. O próximo Papa seja quem for e de onde for, não importa, precisa ter força e liderança absoluta para poder impor transformações que se fazem mister para a sobrevivência e a manutenção da abalada credibilidade do catolicismo.

Perguntas é o que não faltam para serem respondidas por algumas lideranças das Igrejas Evangélicas no país após a divulgação de uma lista da Revista americana Forbes sobre os pastores mais ricos do Brasil.

Os mais de 43 milhões de Evangélicos protestantes querem saber a verdade. Não adianta demonizar a Revista. Ela não é brasileira e não tem interesse algum em denegrir lideranças religiosas pelo mundo afora. Entre os listados pela revista estão na ordem:

Edir Macedo – Universal do Reino de Deus > R$ 1.3 bilhões Edir é dono da Rede Record e seu jato particular vale R$ 90 milhões.

Valdemiro Santiago – Igreja Mundial do Poder de Deus > R$ 440 milhões. Possuí o mesmo jato particular que Edir Macedo. Foi discípulo de Edir.

Silas Malafaia – Assembleia de Deus > R$ 300 milhões. Dono da segunda maior empresa de publicações do segmento gospel – Central Gospel

Pastor R. R. Soares – Cunhado de Edir Macedo – Igreja Internacional do Reino de Deus > R$ 250 milhões. Seu jato particular vale R$ 10 milhões. Tem horário pago nas redes de TV abertas.

Pastor Hernandes e Bispa Sonia – Igreja Renascer em Cristo > R$ 95 milhões aproximadamente. O casal foi pego em flagrante no EUA tentando entrar naquele país com R$ 112 mil reais. Foram condenados e presos.

Estes exemplos somados as fraudes no sistema financeiro do Vaticano, mais os exemplos criminosos de pedofilia entre alguns padres católicos nos fazem desacreditar nas religiões. Isso sem contar a intransigência judaica no Oriente Médio com sua política expansionista e a violência de algumas facções adeptas do Islamismo.

A fé em Deus passa muito distante de tudo isso. O dinheiro, o poder, as guerras, a violência e a falta de amor ao próximo são contrários às leis de Deus. Estes pastores estão enriquecendo a custa dos incautos, assim como a Igreja Católica é milionária e não ajuda como deveria os que mais precisam. Ambas vivem de caridade, dízimos e em alguns casos de ilícitos não declarados.

16 de fevereiro de 2013

O ABC dos problemas no Brasil!

O crime trucida inocentes para garantir um
prêmio, e a inocência luta com todas as forças.
Robespierre



O Brasil é um país lindo, com extensão territorial continental, floresta amazônica, maior reserva de recursos hídricos do planeta, povo cordial, futebol, samba e mulheres bonitas, isso todos já sabem. Mas o que irrita no país são aqueles problemas que nem sempre são levados em conta pelos ufanistas. Os problemas eternos e às vezes sem solução de uma pátria que poderia ser uma das maiores nações do mesmo planeta.

Vamos então elencar esta relação alfabética de alguns dos mais significativos problemas que possa o autor lembrar no momento em que escreve este texto:

A. Alvarás e todo tipo de documentos vencidos e fora das normas;
B. Burocracia estatal gigantesca e quase intransponível;
C. Corrupção; Criminalidade
D. Distribuição de renda contendo a maior desigualdade do mundo;
E. Educação de péssima qualidade para a maioria do povo; Esgoto nas ruas de 75% das cidades;
F. Favelas sem a mínima condição de moradia.
G. Ganância acima da média provocada por um capitalismo selvagem, sem regras e sem limites para obtenção de lucros.
H. Hora – Falta absoluta de pontualidade da nossa gente;
I. Impunidade sem igual em qualquer outro país do mundo;
J. Justiça lenta, parcimoniosa e totalmente desatualizada;
K. KW – Quilowatt – Energia no país não procura investimentos em fontes alternativas renováveis para atender crescente demanda;
L. Lei de Gérson (Levar vantagem em tudo).
M. Mobilidade urbana inexistentes na maioria das cidades e nas que a possuem sem planejamento, urbanismo. Meio ambiente danificado pela ganância, falta de fiscalização e penalização dos infratores.
N. Nepotismo disfarçado nos três poderes;
O. Organizações criminosas com mais poderes que cidadão comum;
P. Políticos inescrupulosos que habitam o Brasil desde sempre, onde houver corrupção, formação de quadrilha e sonegação fiscal haverá de ter um político brasileiro ao menos, fazendo parte ou até comandando o esquema;
Q. Q.I No país não é Quociente de Inteligência e sim “Quem Indicou”. Prática usada à exaustão na vida pública nacional e em algumas empresas privadas também.
R. Rios poluídos e sem vida das grandes cidades;
S. Saúde rudimentar ocasionada pela falta de ética de alguns médicos e pela absoluta falta de caráter dos governantes;
T. Trânsito assassino que mata milhares de brasileiros por ano e Transporte público de péssima qualidade para usuários.
U. Ufanismo
V. Vadiagem
Espero que a Ambev não veja este texto e nem pense que estou achando que a sua propaganda ufanista e sem sentido “Imagina na Copa” patrocinada pela cerveja Brahma possa ser apenas um mero e reles interesse comercial.

O Brasil precisa ser revisado, são inúmeras reformas necessárias (Política, Tributária e Fiscal, Judicial), além de um tratamento de choque nas gestões públicas. O país precisa de investimento maciço em Educação, Saúde, Saneamento Básico e Habitação.

Sem isso, seremos sempre aquele país de gente alegre, que aceita tudo, quer levar vantagem em tudo e nunca vai a lugar nenhum, pois não tem base educacional e cultura para atingir patamares acima dos que se contenta normalmente.

14 de fevereiro de 2013

Catar prova que seca no nordeste tem solução!

Perdoamos uma criança que tem medo
de escuro facilmente. A verdadeira tragédia da
vida é quando homens têm medo da luz. Platão

Desde sempre no Brasil lidamos com o sofrimento e a angústia do povo sertanejo do nordeste do país. A falta de chuvas e a ausência completa de interesse dos nossos governantes em oferecer alternativas para resolver o problema fazem parte da chamada indústria da seca nordestina.

Com esta situação o êxodo para os centros mais desenvolvidos virou pratica comum desde a década de ’50, onde os retirantes contribuíram para o real desenvolvimento de São Paulo, Rio de Janeiro e a construção de Brasília.

Em troca recebiam salários que possibilitavam a sua manutenção e até o envio de recursos para seus familiares que ficavam resistindo à seca, a sede e a fome em seus lares.

Sempre soubemos que havia alternativas, mas era preciso vontade política, honestidade e visão de futuro. Algo que nossos políticos não possuem em seus DNA’s corruptos e carcomidos por uma doença contagiosa chamada “Corruptose aguda”.

Pois em pleno século XXI ficamos sabendo de uma iniciativa no Catar, em pleno deserto do Golfo Pérsico, que deixa claro que a situação nordestina já poderia ter sido resolvida há muito tempo, mesmo sem tanta sofisticação.

Em dezembro de 2012 uma empresa chamada Sahara Forest Project AS inaugurou uma unidade de demonstração no deserto do Catar. A ideia é utilizar água do mar e a luz do sol para cultivar plantas no deserto. Um verdadeiro Oásis artificial que serviria também para conter a desertificação e ainda produzir biocombustível.

Usando água salgada retirada do Golfo Pérsico e eletricidade a partir de placas solares, a ideia é cultivar alimentos em estufas gigantes e até criar algas em tanques para então, produzir biocombustível.

Claro que o Catar não tem problemas financeiros, mas seu problema geográfico é muito mais grave que o nosso. Na verdade o que lhes favorece em demasia é que naquele país inexistem governantes corruptos. O dinheiro público é aplicado para o bem público.

Aliás, não importa a Nação, raramente veremos no planeta um lugar onde a desfaçatez, a falta de vergonha na cara seja tão grande nos políticos como no Brasil. Sua gente morre de sede e fome enquanto prefeitos e governadores além do governo federal torram verbas com publicidade, reeleições, propinas e outras barbaridades.

O Japão, Israel, Catar, e tantos outros países dão exemplos para o mundo do uso adequado da tecnologia em favor do povo. Aqui precisamos de presídios gigantes, enquanto lá fora eles constroem Escolas e Oásis que vão mudar o futuro de seus povos.


9 de fevereiro de 2013

Oposição - Espécime em extinção!

Até cortar os próprios defeitos pode ser
perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito
que sustenta nosso edifício inteiro.
Clarice Lispector

O IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis procura manter um controle sobre os espécimes que correm risco imediato ou a médio e longo prazo na nossa fauna. Essa informação permite aos técnicos e a população em geral zelar e trabalhar para evitar o fim do ciclo de um espécime animal no país.

Na vida política nacional precisaríamos de um órgão como o IBAMA para detectar e zelar pela manutenção de uma raça que aos poucos via sendo extinta do cenário político brasileiro. Trata-se da Oposição – Do Latin Tard. “Oppositione”.

Desde a eleição de FHC à Presidência da República e a ascensão política do PSDB e depois do PT o país vive uma diminuição gradativa da força da oposição no Congresso Nacional. Cada nova eleição mostra o aumento da nefasta “Base Aliada”.

Este grupo auxilia o partido majoritário a chegar ao poder, depois cobra a fatura em troca de cargos, comissões, enfim, poder e recursos da mais variadas formas possíveis. O mensalão nada mais é do que o pagamento mensal em troca deste apoio na eleição e durante a gestão do partido que foi eleito.

Isso infelizmente é prática comum nas Assembleias Legislativas e em boa parte das Câmaras Municipais do país. Em SP o PSDB está no Governo há 18 anos e neste longo período o Estado não teve uma única CPI para investigar com seriedade qualquer coisa da gestão tucana.
O PT tem folgada maioria desde a posse de Lula em 2002, ampliada na posse de Dilma. Além de estarem em menor número à oposição é fraca, omissa e fica tentando provar que o PT é corrupto. 

Ora bolas, oposição tem de trabalhar 24 horas por dia no sentido de provar a Nação que a situação está cometendo algum crime com o erário. Mas também é dever desta mesma oposição zelar pela ética nas duas casas de leis do povo. Não foi isso o que assistimos quando das eleições para a Presidência do Senado e Câmara.

O Senador Aécio Neves, candidato de FHC e do PSDB à Presidência do Brasil em 2014 sequer compareceu a eleição que culminou com a vitória de Renan Calheiros. É isso que o eleitor espera de um líder da oposição no Senado?

Durante a legislatura a oposição embora em minoria concorda com quase tudo, recebe 14º e 15º salários em silêncio, não abdica da nada que seja imoral, fica apenas procurando as câmeras de TV para espernear ad continuum.

Tudo que é imoral e faz parte do regimento interno do Congresso Nacional é aceito pela oposição que a continuar desta forma declara seu fim gradual e por conseguinte sua extinção no cenário da política nacional. Em breve teremos democracia com eleições de um bloco apenas para governar o país, Estados e Municípios.

Uma renovação urgente e necessária!

Algumas das melhores lições são aprendidas
dos erros do passado. O erro do passado
é a sabedoria do futuro. Dale Turner

Para podermos imaginar que o Brasil terá um futuro digno, decente e que seja foca numa visão de médio e longo prazo rumo ao desenvolvimento sustentável e a preservação da sociedade e seu meio ambiente é preciso antes renovar a política nacional.

A renovação é um trabalho árduo e requer entre tantas coisas, tempo, investimento maciço em Educação, reformas no sistema político arcaico que está em vigor e ainda, voto consciente e não obrigatório.

É inconcebível que um país com mais de duzentos milhões de habitantes seja representado por pessoas como Renan Calheiros, acusado de diversos crimes contra o erário e com a ficha mais suja que pocilga. Tal qual, é errado termos na presidência da Câmara Federal um homem que acaba de ser acusado pelo MP de ações suspeitas de lavagem de dinheiro e muito mais.

Alguns políticos fazem da vida pública extensão de sua vida pessoal e profissional, o presidente da Câmara está perpetuado no poder a 44 anos consecutivos. José Sarney está no poder seja Executivo ou Legislativo desde 1965.

Algo precisa ser feito para renovar, evitar poder vitalício mesmo que a custa do voto de cabresto financiado pelas diversas oligarquias ainda vivas no país. Oligarquias que se beneficiam e nada fazem é claro, para que o eleitor tenha informação, educação e cultura.

Cabe a sociedade civil organizada diante deste impasse com a ausência de investimento em educação e das reformas políticas necessárias pressionar o conjunto da sociedade com ações positivas, pontuais na direção do Congresso Nacional.

Com o auxilio da mídia e das redes sociais é possível usar o instrumento da Ação popular: Legitimidade ativa do cidadão como instrumento de controle externo sobre o ato ilegal e lesivo ao patrimônio público.

Assim como na implantação da Lei da Ficha Limpa a única saída que vejo no país é à força das Organizações Não governamentais sem vínculos partidários e sem recebimento de verbas públicas liderarem uma corrente para renovar nossa política já.

4 de fevereiro de 2013

Alvará de funcionamento vencido há mais de 500 anos!

Pecar pelo silêncio, quando se deveria
protestar, transforma homens em covardes.
Abraham Lincoln
Vivemos num país onde poucas coisas funcionam como preveem as leis e as regras vigentes de comportamento. Normalmente funcionam exemplarmente aquelas que são feitas para arrecadação de impostos, entretanto, mesmo estas, de forma parcial, afinal de contas, apenas o povo paga pesados tributos, uma vez que os poderosos lançam mão de artifícios para sonegação fiscal.


Em suma, vivemos num paraíso de água, riquezas minerais, abundância de território com terras produtivas, fartos mananciais ricos em fauna e flora única no planeta. Porém, governados pela pior espécie de políticos do universo.

Todas as formas de golpes, corrupção ativa e passiva que existem ou existiram na face da terra começaram ou foram aperfeiçoadas nesta nossa terra chamada Brasil. Para isso temos experts, homens e mulheres formados com louvor e pós-graduados com nota acima da média mundial.

O exemplo vem de cima, diz o dito popular, então somos um caso perdido, pois o que mais temos é exemplo do que não se deve fazer jamais. Onde há dinheiro no Brasil, há golpe, golpistas e malandros rondando a área para poder levar vantagem, roubar, desviar recursos, enganar e conseguir dinheiro “fácil”.

Se todos os países do Planeta Terra precisassem de alvará para funcionamento com certeza absoluta o nosso documento estaria vencido desde 1500. Guardado numa gaveta fétida de um Cartório de Registro de Imóveis aguardando a liberação mediante propina.

Como formar uma geração saudável, consciente e ética num território permeado por alta criminalidade, facilidades de toda ordem para a corrupção. Onde os políticos estão enlameados até o pescoço e a impunidade é regra geral. Onde o partido que nos governa há nove anos sofre na justiça a condenação de seus militantes do alto escalão num processo denominado Mensalão. E onde a oposição não tem moral, pois também se imiscui em meio à lama que grassa nas nossas casas de leis e de votos.

Nós brasileiros estamos na verdade esperando apenas o momento do teto ser alterado irregularmente para que o incêndio comece a arder e matar ainda mais inocentes neste país de povo amistoso e um tanto quanto acomodado.