31 de março de 2013

Um governo do tipo Bumba!

“Só o erro é que precisa apoio do governo.
A verdade, essa fica de pé por si própria”.
Thomas Jefferson


Em 2010 durante as chuvas que castigaram praticamente todo Estado do Rio de Janeiro, uma tragédia chamou a atenção de todos no país. Três anos depois volta a chamar a atenção, desta vez não pelas chuvas torrenciais, mas sim pelo holocausto que temos e chamamos no Brasil de governo.
Para quem não sabe o Morro do Bumba é o local que abrigava uma favela situada no Bairro Viçoso Jardim em Niterói – RJ. Em 2010 um deslizamento de terra matou 267 pessoas e deixou centenas de desabrigadas.
Como sempre quando ocorre qualquer tragédia no país, governo municipal desaparece, o Estadual inventa desculpas e o Federal sobrevoa a área de helicóptero e promete duas coisas:
a) Liberação de alguns milhões ou bilhões para “resolver” o problema.
b) O cidadão poderá retirar o seu FGTS para recuperar sua moradia.
Como se àqueles que moram em área de risco tivessem uma fortuna no FGTS ou como se não fosse obrigação do governo brasileiro recuperar áreas atingidas, impedir construção e residências em área de risco, embora na maioria das vezes eles pagassem IPTU e todos os demais perversos impostos aos governos das três esferas.
Em 2013 vem abaixo a outra face ainda mais cruel da tragédia do povo daquela região. Uma das muitas promessas feitas por Sérgio Cabral governador do Rio de Janeiro e por Dilma seria que o governo federal através do PAC iria construir apartamentos para as vitimas daquela tragédia.
O dinheiro foi disponibilizado, a construção saiu do projeto, entretanto a entrega de apartamentos do programa Minha Casa Minha Vida destinados a sobreviventes da tragédia do morro do Bumba, deve ser adiada pela construtora responsável pelas obras. A inauguração estava prevista para julho deste ano, mas as obras foram parcialmente paralisadas pela empreiteira Imperial Serviços Limitada.
Segundo informações da “TV Globo”, dois dos onze edifícios que integram o conjunto habitacional Zilda Arns II, situado no Bairro do Fonseca, apresentam rachaduras, e pelo menos um dos imóveis terá de ser demolido. No dia 20/03/13, representantes da Caixa e da Empreiteira Imperial participaram de uma reunião a fim de debater sobre os problemas. Na versão da empreiteira, as rachaduras teriam sido causadas por acúmulo de água no solo.
Em resumo: No morro do Bumba em Niterói perto da cidade maravilhosa, que será um das sedes da Copa do Mundo em 2014 e sediará a Olimpíada de 2016 o governo Bumba de Dilma do PT dá mais uma amostra de que vivemos de marketing político, com esmolas através de bolsas assistencialistas. Um governo administrado por gente relapsa e incompetente.
Um governo Bumba meu boi, que gasta bilhões em desvios de recursos, em desperdícios sem fim e não conseguem sequer fiscalizar uma obra desde sua licitação até a sua entrega ao povo.

30 de março de 2013

O que o governo diz que não se vê nas ruas?

Quase todos os homens são capazes de
suportar adversidades, mas se quiser por à
prova o caráter de um homem, dê-lhe poder.
Abraham Lincoln

No Brasil acima das leis internacionais de mercado está o Custo Brasil. Ele opera em tudo que está no comércio, indústria, importação e exportação de produtos. Sendo assim, é normal que o governo reduza IPI para linha branca de eletrodomésticos e de automóveis e eles continuem com preços inacessíveis para muitos consumidores.

Pois as indústrias não querem perder um centavo, aproveitam as enormes vendas com o apelo da redução do IPI e os transformam no melhor agente de marketing possível. O governo ao invés de fazer uma operação casada exigindo: IPI menor + Aumento da Oferta de empregos + Redução do preço final = Mais compras, empregos e arrecadação de impostos, prefere a comodidade de não ter de alterar nada com seus financiadores de campanhas.

No caso da cesta básica tão alardeada nas últimas semanas ocorreu o mesmo processo. O governo diz que diminui impostos que incidem sobre produtos da chamada cesta básica. O governo ganha com popularidade e sobe nas pesquisas pré-eleitorais e nas de gestão junto à população. Os produtores e comerciantes ganham alivio na carga tributária, porém ao comprarmos os mesmos produtos percebemos que a maioria não teve redução repassada aos produtos. Tudo como antes no "Quartel de Abrantes (Dilmantes)"

Assim funciona com os combustíveis que sobem na entressafra da cana e depois quando está no auge da sua colheita não tem o preço reduzido proporcionalmente. As crises de petróleo lá fora sempre fizeram nossa gasolina subir, porém quando os barris caíam 45% no exterior, nossa gasolina permanecia quietinha no mesmo preço alto anterior a redução internacional.

São coisas que a economia não explica, mas que a perversa política nacional aliada à ganância desenfreada de parte dos nossos empresários sabe e muito bem como acontecem.

Cabe ao consumidor que também é eleitor não votar em mentirosos e comprar outros produtos deixando de ajudar aos empresários gananciosos. O poder do consumidor é enorme, basta ele descobrir isso e a situação pode ser aos poucos revertida a seu favor.

27 de março de 2013

Existe saúde pública do outro lado do oceano atlântico

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe
no que você não conhece como eu
mergulhei. Não se preocupe em entender,
viver ultrapassa qualquer entendimento.
Clarice Lispector

No Brasil vivemos há muitos anos sem que nossa sociedade tenha um sistema de saúde de qualidade, com atendimento digno, forjada por profissionais qualificados e voltados para a cura dos milhares de pacientes que passam pelos Postos de atendimento, hospitais diariamente. Além de uma adminsitração séria, proba e que saiba utilizar dos recursos do povo para o sistema unicamente.

Na região sul e sudeste o atendimento é precário, nas demais regiões inexiste qualificação para designarmos o que a população dispõe em suas cidades, ou na maioria delas por sinal, atendimento distante de trezentos a quatrocentos quilômetros de suas casas.

Faltam hospitais, prontos socorros, unidades básicas de atendimento e profissionais qualificados em quase todo o nosso país. Sobram médicos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, ocorrendo problemas no interior destes Estados mais ricos também.

O povo começa a ter dificuldade inclusive nos atendimentos feitos por Planos de Saúde renomados em todo país. Mesmo aquelas instituições que possuem hospitais e unidades de atendimento começam a ter superlotação e não conseguem mais dar retorno com qualidade aos seus associados.

Todos pagam pesados tributos em tudo que consomem no Brasil e recolhem Imposto de Renda em dia, porém o retorno do governo para a sociedade é praticamente zero, senão for negativo.

Este problema não é exclusivo do Brasil, porém em muitos países ele foi sanado com simplicidade. A junção de esforços com honestidade, educação, vontade política e ética fizeram com que estes países tenham medicina de primeiro mundo com atendimento diferenciado a custo zero.

É o caso da Inglaterra, que possui um dos melhores sistemas de saúde do planeta ao contrário do Brasil, que tem o SUS, mas agora planeja na calada da noite troca-lo por um sistema hibrido que mais parece um enorme Frankstein que poderá piorar ainda mais o que já existe no país. Veja no link abaixo o que os ingleses têm e como conseguiram implantá-lo em toda Grã-Bretanha. Entrevista exclusiva para o cineasta americano Michael Moore.

video

16 de março de 2013

O que alguns programas do Governo Federal têm em comum?

Tem políticos que aspiram tornar-se Mickey Mouse...
Ser tão encantador que as pessoas
esqueçam que eles são ratos.
Autor desconhecido

Não importa o partido, não importa os governantes, divulgar seus programas, projetos e plataformas são os combustíveis que alimentam sua vaidade, seu projeto pessoal e também a indústria de marketing que os cerca normalmente.

Sendo assim, nos últimos vinte anos com maior ênfase o governo federal passou a dar nomes chamativos para seus projetos e explorar em toda mídia a implantação dos mesmos. Claro que sempre confiando que ninguém pudesse cobrar o andamento, conclusão e a real aplicação do programa divulgado.

Inclusão digital e Luz para todos são dois destes projetos que foram amplamente explorados na mídia pela gestão petista. Não importa se foram criados na atual gestão ou no governo passado, a partir do momento que tomam posse os partidos assumem apenas aquilo que lhes dá perspectiva de votos, nada mais.

No caso dos dois programas a semelhança é que ambos estão parados, não atingiram suas metas iniciais propostas pelo governo e começam a gerar prejuízo à sociedade e ao governo. A Inclusão digital tem na cidade de Bauru que fica a 345 km de SP, um inequívoco exemplo de desperdício monumental da burocracia estatal brasileira. Foram adquiridos com nossos recursos 500 computadores para dar sequência ao Programa de inclusão digital.

Entretanto todos os equipamentos estão parados num galpão da Prefeitura. Sem uso, sem destinação definida, esperando ações do governo federal através do respectivo órgão gestor do programa. Resultado: Frustração da população carente + Prejuízo + Desperdício de dinheiro público = Incompetência.

Já o pomposo programa Luz para todos, que pretendia levar energia elétrica a todos às residências do país após dez anos de sua implantação tem mais de um milhão de casas no escuro. Os dados são da ANEEL e das distribuidoras de energia do país.

Enquanto Dilma viaja, enquanto seu partido discute as próximas eleições, enquanto a economia dá sinais de fraqueza, enquanto nosso dinheiro é gasto de forma equivocada o país lê nas revistas e jornais de grande circulação, ouve nas rádios e vê nos telejornais algumas propagandas mentirosas destes mesmos projetos que estão parados e dando prejuízo a sociedade.

E olhe que não faltam energia nem tecnologia digital nos ministérios nem no palácio do governo, portanto, falta apenas vergonha na cara, falta fiscalização e cobranças mais contundentes da sociedade civil é verdade, sem elas tudo continuará como dantes no quartel de Dilmantes.

13 de março de 2013

Médicos se superam na ansia de burlar poder público

A tortura de uma consciência
culpada é o inferno do ser vivo.
John Calvin

Temos lido notícias preocupantes sobre o desprezo da ética e da honestidade por alguns profissionais da medicina no Brasil. Seja na enfermagem, na administração ou na medicina propriamente dita.

Hora são médicos cometendo erros inaceitáveis para quem tanto estudou e vive para salvar vidas. Hora temos casos de profissionais sendo acusados de fraude na pratica da medicina. Em Curitiba médicos sendo demitidos e processados pelo MP acusados de formação de quadrilha, homicídios e muito mais.

Em São Paulo e na cidade de Sorocaba alguns meses atrás médicos foram flagrados batendo o ponto eletrônico e depois saindo à francesa para ficarem dando expediente em seus consultórios. Sendo que ao final do mês recebiam seus salários intactos do Estado.

Alguns foram demitidos outros tantos nem tanto, uma leve admoestação e os Doutores da Ética lá estão dando seus expedientes completos ou não. O Estado é pai e mãe da corrupção e da imoralidade, logo, deixa como está.

Agora vem de Ferraz de Vasconcelos uma cidade que fica na Grande São Paulo a notícia mais estarrecedora dentre as tantas na área de medicina enganosa – Desculpe, é uma nova especialização da medicina em SP.

Uma médica do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi flagrada batendo o ponto eletrônico de outros médicos. Não bastasse o ato que é abominável e passível de demissão por justa causa, o que deveria ocorrer sem sombras de dúvida. Ficou ainda pior quando ela foi filmada por uma câmera de segurança tirando dos bolsos dedos de silicone contendo as digitais de seus colegas médicos.

Os médicos faltavam sempre ao expediente e a Prefeitura e sua Secretária de Saúde e o próprio SAMU não sabiam. Depois dizem que só o lula não sabe nada neste país. Eles recebiam seus salários intactos ao final de cada mês, porém como são profissionais dedicados e conscientes de suas responsabilidades, doavam parte deles para um líder da quadrilha, que era o Coordenador Jorge Cury.

Segundo a médica “amiga” o esquema envolvia cerca de onze médicos e 20 enfermeiros e seria coordenado pelo competente Senhor Jorge Cury. Mais um caso estarrecedor e que assim como os demais será arquivado e esquecido pelo poder público e pela nossa inoperante justiça.

video

12 de março de 2013

INSS - Dois pesos e muitas medidas

“A história é uma galeria de quadros em
que há poucos originais e muitas cópias"
Tocqueville

Se existe um órgão no Brasil que comete injustiças em nome de regras, regulamentos e leis este é o Instituto Nacional do Seguro Social vinculado ao Ministério da Previdência Social.

Durante minha vida profissional de trinta e oito anos numa mesma empresa cansei de ver e ainda sei de colegas eletricitários que trabalharam em áreas de risco, como subestações, laboratórios químicos e mesmo com atestado assinado pela direção da empresa tiveram seus pedidos de Aposentadoria Especial negados.

Todos estão com seus processos apodrecendo nas gavetas do INSS, sem que sejam devidamente julgados e as decisões colocadas em prática. Vejam que no caso acima citado, não foi uma empresa qualquer que atestou a permanência dos empregados em áreas passíveis do pagamento do benefício de aposentadoria especial, mas sim uma Empresa do Governo Paulista.

Meu sogro entrou com ação na justiça pedindo recuperação de perdas e correção do pagamento de seu benefício há mais de dez anos. Hoje ele está com 76 anos de idade. Mesmo com idade acima de 70 anos e tendo contribuído sua vida inteira ele não conseguiu ao menos uma resposta do INSS. O processo está parado aguardando alguma sandice qualquer solicitada por algum burocrata do órgão.

Não há justiça quando o processo trata de pedidos juntos ao INSS. O órgão desrespeita prazos, alega estudos de viabilidade ou de análises que nunca são feitas ou ao menos explicadas ao beneficiário. Tenho dúvidas se este “Modus Operandis” não é ditado em off pelo próprio Ministério da Previdência aos seus comandados.

Os trabalhadores com carteira assinada recolhem suas contribuições pesadas em seus avisos de pagamento sem que possam sequer atrasar ou deixar de pagar religiosamente a cada mês e ao final do tempo de contribuição ficam muitas vezes sem o benefício pago e não concedido. Isso é crime!

Enquanto isso no mesmo Brasil, um assassino réu confesso, mata sua esposa e pasmem – Recebe mensalmente uma pensão pela morte da esposa que foi por ele estrangulada. Mesmo sendo informada pela polícia do processo de homicídio contra a esposa, o INSS continuou pagando o benefício desde 2010 até os dias atuais.

Ou seja, bandidos e assassinos tem por parte do INSS muito mais respeito e consideração do que aposentados que trabalharam honestamente e requerem um simples revisão de seus benefícios. Muito mais do que os trabalhadores de empresas do setor de energia que colocaram suas vidas em risco e hoje não podem receber um benefício que está na Lei.

Assim é o Brasil e sua burocracia criminosa, leis demais e justiça de menos num país onde criminosos possuem Auxilio reclusão e com certeza não ficam esperando muito tempo a sua concessão...

9 de março de 2013

Na república das bananas o crime sempre compensa!

Os animais selvagens não matam por esporte.
O homem é o único para quem a tortura e a
morte de alguém da mesma espécie é diversão.
James Anthony Froude

Desde que eles cometem os crimes até o cumprimento de suas penas todos os criminosos brasileiros sabem que na maioria das vezes compensou tê-los cometido. Independente da tipificação de seu crime ou até da pena definida em júri os meliantes já sabem com antecedência que será moleza.

O Brasil é um dos poucos países onde os criminosos possuem mais benefícios que os cidadãos comuns. Seja ele um relés bandido, um criminoso de alta periculosidade ou até um engravatado do colarinho branco. Não importa, será premiado com inúmeras benesses pelo sistema judiciário nacional.

Para começar nenhum facínora pode cumprir mais do que trinta anos de prisão em regime fechado no Brasil. Coisa de primeiro mundo, chique demais. Pode mandar matar a amante, esquarteja-la e depois jogá-la aos cães que mesmo assim, cumprirá parte da pena em regime semiaberto. No conforto e tranquilidade total.

Não importa o crime, não importo se foram uma ou mais vitimas do mesmo celerado, nossa justiça alega que não quer somente punir, mas sim recuperar o preso. Conversa mole, isso é conversa mole de quem é frouxo fraco e nunca teve um parente próximo morto com requintes de crueldade nas ruas do país.

Precisamos aprender que o Brasil é país de terceiro mundo, como tal não adianta querer ter Códigos penais ou Estatutos para menores baseados numa realidade distinta da nossa cultura, do nosso povo.

Na Bolívia, um país pequeno, atrasado e com mazelas infindáveis a maioridade penal é aos 14 anos de idade. Cometeu um crime depois de 14 anos vai sofrer as mesmas consequências de um adulto.

Assim é na Inglaterra, EUA e em tantos outros países pelo mundo afora. Chega de Redutores de Penas, basta de limites para tempo de prisão em regime fechado, chega de indulto indecente, nem que para isso seja preciso reformular todo o nosso sistema judiciário.

Nossas autoridades do Poder Executivo não estão e nem nunca estiveram preocupadas com a violência que campeia em nossas cidades. O Poder Legislativo é torpe, imoral e não possuem em seus DNA’s quaisquer resquícios de senso de cidadania. Neste meio fica o Poder Judiciário refém de seus marajás das supremas cortes em seus prédios suntuosos com mármore italiano e granito, distantes infindáveis quilômetros do cidadão comum que clama em silêncio por um pouco de justiça.

Chega de discursos vazios, chega de dizerem que possuem este ou aquele projeto pronto engavetado no Senado ou na Câmara. Deixem de lado suas riquezas, suas vidinhas nababescas e assumam pelo menos uma vez ao longo de seus mandatos algo importante para o nosso povo – SEGURANÇA PÚBLICA.

Senhores Desembargadores do Tribunal de Justiça do nosso país, por favor, acordem antes que estes mesmos criminosos que são beneficiados tragam para os senhores o desprazer de um velório de um filho, sobrinho, esposa, ou seja, lá com quem os senhores se importem.

Não podemos mais conviver com gente da espécie de Bruno, Macarrão, Bola, Suzane Von Richthofen, Nardoni, Gil Rugai, Roger Abdelmassih, Irmãos Cravinhos, Elise Matsunaga e tantos outros, sabendo que eles vão cumprir uma pena reduzida por culpa da omissão dos nossos Senadores, Deputados Federais, Governo Federal, Ministro da Justiça e todos os membros do sistema judiciário deste país.


7 de março de 2013

Dia Internacional da Mulher

Neste dia 08 de março, dia internacional da mulher, muitos são os motivos para as mulheres comemorarem. As conquistas alcançadas ao longo da sua trajetória sofrida serão sempre lembradas com orgulho pelas gerações futuras.

Embora ainda existam muitas barreiras para serem transpostas e muitos espaços para serem ocupados, é inegável o avanço rumo à igualdade de direitos tão sonhada e merecida.

A nossa sociedade embora ainda com ranços de sua cultura latina com traços acentuadamente machistas, tem se curvado diante da ascensão da mulher aos novos postos de trabalho e a sua participação cada vez mais importante como responsável pela família brasileira.

Pena que a sua participação na vida pública ainda seja abaixo do esperado, pois com certeza a ética e o bom senso, além da honestidade seriam premiados se houvesse uma participação mais ativa do sexo feminino nos destinos da nação em todos os seus estágios.

Os desafios nesse novo milênio devem ser a manutenção das conquistas já alcançadas, bem como o discernimento de algumas mulheres com relação à ditadura da moda e dos costumes, que por vezes expõe a própria mulher a situações constrangedoras.

Um exemplo atual é a indústria do silicone que quer impor padrões puramente estéticos e com cunho machista a beleza natural da mulher. A cirurgia plástica contém enormes avanços em sua trajetória e podem, se praticadas por profissionais corretos trazer grandes benefícios. Porém nos últimos tempos vem se prestando a um papel meramente mercantilista em relação ao corpo da mulher que muitas vezes não percebe que está sendo usada por esta estrutura.

Outro exemplo que em nada contribui para com o respeito à mulher é a sua participação e a aceitação à ditadura do Ibope na televisão. Em nome da conquista de índices cada vez maiores de audiência, os responsáveis pela programação da TV brasileira expõem à nudez da mulher de uma forma chula e pejorativa.

Esses diretores esquecem de enaltecer a inteligência, a sensibilidade e a determinação da mulher, como se delas só pudéssemos observar a beleza física.

O combate à violência é um dos maiores problemas na atualidade e tem na impunidade seu maior parceiro. A justiça precisa engendrar esforços no sentido de punir exemplarmente aqueles que cometem crimes hediondos contra a Mulher em nosso país.

A luta da mulher ainda terá muitos momentos de conquistas e também de dificuldades a serem percorridos neste novo milênio, mas é preponderante que através das suas vitórias nosso país irá alçar voos mais altos rumo à modernidade e a uma sociedade mais humana e mais justa.