30 de junho de 2015

Algumas coisas que nos irritam e começam com "P" no Brasil!

Não há nada como regressar
a um lugar que está igual para
descobrir o quanto a gente mudou.

Outro dia o Júlio, um rapaz que faz a limpeza e manutenção da piscina em tom de brincadeira disse:
_ Todas as profissões que começam com “P” dão trabalho. Completou dizendo que listaria alguns exemplos enquanto ria: Piscineiro, Pedreiro, Pintor e Político.
Claro que, ao longo da vida de qualquer pessoa uma vez ao menos ela teve problemas com estas e outras tantas profissões que são ocupadas por seres humanos, portanto, passíveis de falhas.
Pensei então em escrever algo sobre o assunto, abordando, porém não somente as profissões, mas algumas coisas que irritam e muito os brasileiros em geral e começam com a letra “P”.
Com certeza se eu parasse aqui neste pequeno trecho a maioria dos leitores iriam lembrar-se deles, os indefectíveis e sempre regulares Políticos, eles mantém a regularidade na mediocridade de suas atuações e não deixam a peteca cair jamais, são imbatíveis quando analisamos qualquer coisa que nos irritem no país.
Junto com os políticos não tem como dissociar o que os abriga, os mantém vivos que são os seus Partidos Políticos, um mal necessário a toda democracia, mas que no Brasil são criados por finalidades diversas daquelas conhecidas em boa parte do mundo. Aqui se procriam como Gremlins ou Ratos no submundo da vida nacional. Quando você menos espera surge na TV uma nova sigla.
Com os Políticos e seus Partidos surge outra palavra que tem causado asco e muita revolta à população brasileira que assiste atônita ao desenrolar das investigações sobre Propinas no Brasil. Nunca se soube de tantas contas no exterior e tanto dinheiro recebido em troca de favores em Estatais, processos licitatórios e todos os tipos de falcatruas e favorecimentos.
Quando isso acontece aparece outra palavra que começa com “P” no cenário nacional. São as Peças Publicitárias pagas com nosso dinheiro para tentar nos enganar com relação às empresas, governos e pessoas envolvidas nos escândalos acima citados propiciados pelas Propinas recebidas.
Assim nós, brasileiros continuamos nossa jornada nesta passagem pela vida, sentindo-nos como se fôssemos verdadeiros palhaços da corte de governantes medíocres, corruptos e ladrões da esperança de uma Nação.
A imagem é forte, seus dizeres são contundentes, assim como é cruel assistirmos a cada nova eleição os mesmos corruptos serem guindados a novos cargos no legislativo ou executivo.
Para concluir, vamos esperar que esses sujeitos possam um dia, quem sabe, distante ou não, irem para um lugar que também começa com a letra “P” e façam dele a sua morada por muitos e muitos anos... Presídios.

Impostos ainda vão engolir este país!

De que adiantam leis quando há
miséria interior e esplendor externo?
Chuang Tzu



 Na manhã de 29 de junho de 2015, o povo brasileiro acordou e ficou sabendo que seu competente governo federal atingiu a marca obscena de R$1 trilhão em arrecadação de impostos. Dinheiro que além de ser uma quantia exagerada, tem o grande problema de não voltar em forma de serviços e obras para a sociedade que pagou estes impostos injustos e utilizados para bancar as despesas internas e externas deste governo pífio do PT.
Sem contar que este governo não reduz gastos com folha de pagamento nem com contratações equivocadas e passa o tempo aparelhando o Estado brasileiro, o que propicia apenas ganho para uma minoria da sociedade brasileira.
Nossa divida externa aumenta numa progressão geométrica enquanto acumulam-se problemas no seio dos lares brasileiros como, por exemplo, inflação, preços altos, desemprego, PIB ridículo, juros estratosféricos, corrupção, insegurança, obras paradas, orçamento nunca realizado, apesar de aprovado, cortes em área vitais e muita mentira, mas muita mentira nas peças publicitárias em toda mídia nacional.
O Brasil tem recursos, porém, falta vontade política, falta inteligência e honestidade de propósitos em todos os escalões governamentais. Todos querem poder, dinheiro fácil, enganar o povo, e, sempre que possível desviar recursos do erário para contas em paraísos fiscais.
A reforma fiscal nesta gestão da Dilma não virá jamais, pois o que o governo quer é fazer o chamado “Ajuste Fiscal” que significa literalmente aumento de impostos, e não a redução dos tributos com a possibilidade de acréscimo de arrecadação a partir de uma tributação mais justa.
Até o final de 2015 veremos a arrecadação ultrapassar um trilhão e meio de reais, o que é um escárnio para uma população que não tem segurança, o atendimento dos hospitais é um lixo, falta saneamento básico e Educação de qualidade em todo país.
A sociedade civil ao lado das entidades representativas de classes, segmentos representativos do Comércio e Indústria precisam lutar contra essa aberração que vivemos há muito tempo e que parece não ter fim. Dinheiro que se juntarmos aos desperdícios das obras paradas e mais o ralo gigantesco da corrupção poderiam transformar o Brasil numa Nação poderosa.
           Entretanto, ninguém reclama, nenhuma entidade representativa de classe luta para reverter essa lógica perversa no país. Ao contrário, recentemente vimos a FIESP através de seu presidente Paulo Skaf lutar junto com setores reacionários pela implantação da terceirização completa no país. Redução de impostos é uma bandeira que deveria ser de todo país, porém, fica esquecida e só é lembrada quando atingimos mais de um trilhão de arrecadação desta máquina trituradora de sonhos chamada Governo Federal do Brasil.

22 de junho de 2015

Aluga-se o Brasil!

“Eu não preciso ler jornais,
mentir sozinho eu sou capaz"
Raul Seixas

Em 1980 Raul Seixas escreveu uma canção chamada Aluga-se, onde propunha alugar o nosso país para os gringos. Com certeza motivado pela inércia, pela omissão das autoridades do país à época. A canção por incrível que possa parecer cabe como uma luva nestes tempos de PT no poder, de Congresso Nacional inócuo e de tantos partidos vendilhões ao redor do poder central.
O Brasil do futuro cantado pelos militares durante o golpe de 1964 não existe mais nem em sonho, pois até uma criança semialfabetizada sabe que o futuro só é possível com educação de qualidade, algo que inexiste no Brasil.
Somos um amontoado de milhões de pessoas sem ideais, remando contra a maré, num clima de democracia de ausentes e onde a ignorância é uma benção para milhões.
Vivemos numa democracia chula, liderados por políticos sem ética, sem moral, sem alma, conduzidos ao poder sistematicamente por uma população que desconhece o sistema eleitoral vigente e todas as suas consequências quando vota nulo, em branco, se ausenta ou elege puxadores de voto (Palhaços, artistas, bailarinas e outros candidatos por brincadeira).
Diziam na década de ’70 que a Amazônia era brasileira e precisava ser cuidada para não ser invadida pelos estrangeiros que estavam de olho na sua fauna e flora fenomenal. Pois eles invadiram, roubaram fórmulas e plantas e ninguém fez nada. Aliás, os próprios brasileiros estão derrubando a maior floresta do planeta para colocar pasto em seu lugar. Que povo é esse?
O falecido Raul Seixas, gênio da sua época, letrista maluco beleza, antevia na canção aquilo que efetivamente acontece quando percebemos que a indústria automobilística fabrica automóveis em suas matrizes e aqui põe para rodar Kombis, Fuscas, Gols e outras carroças sem itens de segurança, sem qualidade e conforto para os brasileiros rodarem em estradas de terceiro mundo.
O Brasil já foi alugado há muito tempo, só não foi vendido porque os gringos não querem comprar, apenas querem explorar nossas riquezas minerais e o trabalho semiescravo com nossa brava gente sem estudo e sem amor à pátria.
Salve Raul Seixas, abaixo os congressistas que preferem fazer marketing reverso na Venezuela para alimentar seus escusos interesses eleitoreiros do que efetivamente lutarem ao lado do povo para a melhoria da Educação, da Saúde Pública e da vida da nossa gente.

Link da canção Aluga-se de Raul Seixas https://www.youtube.com/watch?v=RU-gpUJug6I

13 de junho de 2015

Deputados - Quem deveria mesmo ser crucificado?

“Se governar fosse fácil, não seriam
necessários espíritos iluminados”
Bertold Brecht.

Um grupo de parlamentares adentrou o plenário da Câmara Federal para protestar contra uma simulação de crucificação de uma transexual ocorrida durante a Parada Gay em SP. Os deputados portando faixas, cartazes e pôsteres levantaram a bandeira da moralidade e a defesa da religião.
 Seria cômico se não fosse trágico ver os arautos da ética, da honestidade e do respeito ao povo brasileiros e suas instituições marchar alegres ao redor da mesa da presidência da Câmara como se estivessem numa parada Homofóbica.
Estes mesmos senhores que trabalham pouco, recebem salários e adicionais que elevam seus vencimentos para quase cem mil reais ao mês e que não trabalham mais do que dois ou três dias por semana, são aqueles que agora resolveram defender a moralidade?
Será que não andaram vendo os noticiários nos últimos meses, contendo escândalos do Petrolão, Cartel dos Trens, Propinoduto, Caso Zelotes, HSBC... Nestes casos eles não se revoltaram tanto quanto a imagem da transexual na avenida paulista.
Estes nossos representantes ficam indignados com passeatas gays, porém, não sentem nada quando ficam sabendo que coleguinhas seus evadem divisas, lavam dinheiro, recebem propinas de empreiteiras, maculam nossa constituição e roubam a esperança do nosso povo.
Fico imaginando como seria interessante se os deputados indignados ao invés de tomarem a Câmara resolvessem organizar uma enorme Marcha pela Ética e Respeito na mesma Avenida Paulista. Carros alegóricos com logo dos patrocinadores (Bancos, Empreiteiras, Financiadores de Campanha) desfilando com tudo custeado pelo dízimo auferido no domingo anterior ao desfile nas muitas igrejas e congregações religiosas que ajudam a bancar estes senhores “protetores” da família brasileira e da moral cristã.
Estes vagabundos deveriam ter vergonha na cara de se meterem a defender algo que não possuem. A Marcha Gay em SP pode ter exagerado na alegoria da transexual, pode ter sido de mau gosto, ninguém é perfeito, mas daí a querer arvorar-se como defensor dos bons costumes vai uma enorme diferença.
O povo brasileiro sabe muito bem quem deveria ser crucificado, e, desta vez, com toda certeza não seria o ladrão Barnabé, mas sim, os ladrões do futuro do povo brasileiro, travestidos de parlamentares.
Agora o Neymar pode sair em Revista de grande circulação como se estivesse sendo crucificado Deputados?